Fechar X

Bruna Tang, cantora e diva underground, saiu na última sexta-feira (21) do reality show A Fazenda, transmitido pela Record. Em casa, ela começa a retomar a rotina lavando uma máquina de roupa suja trazida da temporada no confinamento. No Facebook, um post clama por conteúdo, já que a moça do cabelo roxo teria “emburrecido” pela falta de notícias sobre o mundo. “Eu não acompanhei as eleições, não soube de nada que aconteceu no mundo durante esse tempo”, conta Tang, que também não teve acesso a livros, instrumentos e nem a um mero papel e caneta pra botar suas ideias.

Para quem ainda não conhece a ex-fazendeira, é justo dar um breve background: a mineira Tang veio para São Paulo para ganhar o mundo. Famosa na internet nos tempos do Fotolog, ela se valeu do séquito de fãs para montar uma banda com a amiga Anna Boogie e o DJ Rafa Dejota. Quem esteve nas baladinhas descoladas de 2004, viu o 2Yummy se apresentar nos inferninhos de Pinheiros e Baixo Augusta. Com o sucesso do grupo no meio artsy paulistano, ela se sentiu motivada para alçar voos mais altos e formou a banda Undershower com o marido, Drico Mello.

Pula para 2013, quando Bruna foi jurada do programa O Famoso Quem, do SBT. Ao final de seu contrato, foi sondada pela Record para participar do reality show. Acabou escolhida, avisou a família, blindou o casamento e partiu pra roça!

“Foi uma experiência doida, eu saí do underground pra conviver com pessoas extremamente pop, correndo o risco de não ser compreendida. Botei a bunda à tapa”, revela. “O intelecto é uma coisa muito reduzida ali, fui mal interpretada com quem tentei me comunicar, ou porque interpretavam da maneira que convinha, ou porque eles não tinham capacidade, mesmo”. Puxado.

Tang acabou trazendo para casa a fama de bruxa, dada pelos companheiros depois de profunda análise de seu jeito de vestir, seu gosto musical e crenças. Bom, e pelo cabelo roxo, né?

Apesar disso, nem tudo foram espinhos: Bruna fez laços com o jornalista Felipeh Campos, “a única pessoa com conteúdo cult que rolava de conversar”, e torce pela vitória do sertanejo Leo Rodriguez, aquele autor do Bará Bará Berê Berê. “Ele é um cara mais calado, tem um jeitinho caipira e sobreviveu a três roças”, conta.

Agora, conta pra gente, e o Oscar Maroni? Teria aceitado a proposta do empresário se não fosse casada? “NUNCA, jamais, nem solteira, nem casada, nem viúva”, responde com forte sotaque de BH. “Ele é um homem muito inteligente, uma figuraça de grande força na casa, mas foi precipitado no plano de jogo. Se ele tivesse se unido a mim emocionalmente, e não fisicamente, talvez a parceria tivesse dado certo. Quando eu pude sugerir o nome dele pra ir pra roça, ele foi e saiu”.

Mas, e o futuro? Muitos projetos? “Aconteceu uma coisa muito legal enquanto eu estive fora, que foi a Undershower assinar com a Sony. E o nosso canal no Vevo vai pro ar na próxima sexta (Nota da redação: bota aí na agenda pra acessar, só jogar no Google os termos Vevo + Undershower)”, comemora.

Pra encerrar, uma curiosidade: enquanto Bruna alimentava e se confidenciava com os animais da fazenda, um fã, Marcus Baby, aproveitou o confinamento para criar a Barbie Tang, de cabelo roxo e tudo o mais. Olha lá na galeria, não ficou igual?

 

Fechar X
Sem mais artigos