E lá se foram 20 anos. O filme Chatô, o Rei do Brasil, baseado no livro de Fernando Moraes lançado em 1994, começou a ser filmado / produzido em 1995. E como todo mundo sabe, passou duas décadas na geladeira, mergulhado em vários conflitos.

Mas a luz se fez, e Chatô finalmente chega aos cinemas, nesta quinta-feira (19/11). Portanto, o Virgula decidiu refletir: como era o mundo em 1995? Você se lembra? Se é que você, leitor, era nascido. Nascido ou não, embarque nessa viagem (quase assustadora, estamos avisando!) a partir de agora!

CINEMA
Chatô chega aos cinemas em 2015, então vale pensar: o que estava em cartaz nos cinemas de 1995? Lembrem-se de que não existia Netflix, Now, Net, download de filmes, YouTube, DVD, Blu-Ray, nada disso. TV a cabo no Brasil tinha 1 ano de vida só. Para acompanhar os hits do cinema, o povo tinha que sair de casa e ir ver os filmes ao vivo, sim. Ou então esperar 1 ou 2 anos para alugar o filme em VHS depois.

Brad Pitt em "Seven", de David Fincher

Brad Pitt em “Seven”, de David Fincher

Olha só quais foram os blockbusters de 1995: Apollo 13, Coração Valente, Batman Eternamente, Toy Story (Pixar), Pocahontas (Disney), Seven – Os 7 Crimes Capitais, Jumanji, As Patricinhas de Beverly HillsMeryl Streep e Clint Eastwood viviam um caso de amor em As Pontes de Madison, e os jovens mais ousados cultuavam Kids, estreia de Larry Clark no cinema.

"Kids" sacudiu o mundo

“Kids” sacudiu o mundo

NOVELAS
E no mundo das novelas, o que acontecia? Era bem diferente de hoje: a Globo era líder absoluta de audiência e não tinha preocupação nenhuma com as concorrentes. Aliás, a TV Record nem fazia novela nessa época. Só a TV Manchete (hoje extinta) fazia cócegas na Globo, com Tocaia Grande.

Mas a Globo nem se abalava e seguia indestrutível, exibindo História de Amor (às 18h, de Manoel Carlos, com Regina Duarte vivendo sua 1ª Helena do universo do novelista), Quatro por Quatro (às 19h, consagrando Letícia Spiller como Babalu) e A Próxima Vítima (às 20h, e não às 21h).

Letícia Spiller consagrou-se na pele de Babalu

Letícia Spiller consagrou-se na pele de Babalu

Vale lembrar que antes de História de Amor a Globo exibiu um remake de Irmãos Coragem (que no original bombara em 1970 e 71). E depois de A Próxima Vítima entrou no ar Explode Coração! Quem não se lembra da espevitada cigana Dara (Tereza Seiblitz) e do abobalhado cigano Igor (Ricardo Macchi)?

Por fim, o golpe final: em abril de 1995 entrava no ar a 1ª “soap opera” da Globo, e que está no ar até hoje, por incrível que pareça: ela mesma, Malhação. Hoje jurado do The Voice Brasil, Lulu Santos cantava na abertura: “Ainda leva uma cara… pra gente poder dar risada… Assim caminha a humanidade, com passos de formiga e sem vontade…”

"Malhação" 1995 tinha até Carolina Dieckmann...

“Malhação” 1995 tinha até Carolina Dieckmann…

TV
Além das novelas, a TV mostrava muita coisa que hoje não existe mais. A TV Cultura fazia a festa das crianças com o Castelo Rá-Tim-Bum, e dos adolescentes com o seriado americano Anos Incríveis.

Xuxa estava na Globo! E comandava o Xuxa Park.

Xuxa tinha 32 anos e comandava o "Xuxa Park"

Xuxa tinha 32 anos e comandava o “Xuxa Park”

Regina Casé estava na Globo! (ainda está) E comandava o Brasil Legal.

Regina Casé era engraçada e fazia o "Brasil Legal"

Regina Casé era engraçada e fazia o “Brasil Legal”

O Jornal Nacional da Globo ainda era apresentado por Cid Moreira. William Bonner e Fátima Bernardes assumiriam a bancada somente em 1996.

Existia MTV no Brasil! A emissora musical tinha 5 anos de vida apenas (estreara em outubro de 90) e era uma referência para todo mundo que se ligava em música.

Todo mundo queria a sua MTV!

Todo mundo queria a sua MTV!

Séries americanas? Não havia a febre de hoje, com as 3.500 opções. Mas algumas eram mania, como Friends, Mad About You, O Quinteto, e claro, Arquivo X.

A Escolinha do Professor Raimundo saiu do ar na Globo em 1995. Curiosamente, está voltando agora, desta vez com novos episódios, no Canal Viva – que não existia em 95.

"Vamos à escola... toda hora é hora... lá se aprende a viver!"

“Vamos à escola… toda hora é hora… lá se aprende a viver!”

MÚSICA
O mundo musical era bem diferente de hoje… Não havia como baixar músicas, nem ouvir no YouTube, ou Spotfy, nem nada. O lance era comprar CDs, gravar fitas K-7 (ainda), ouvir CD no discman, ouvir rádio… A revista Bizz continuava como a grande antena musical do público brasileiro, e em outubro de 95 virou Showbizz, aumentando de formato.

"Hi, I'm Madonna"

“Hi, I’m Madonna”

E quem eram os ídolos? Michael Jackson estava vivo e lançando seu HIStory. Madonna tinha lançado Bedtime Stories em 94 e emplacava Take a Bow em 95.

Michael...

Michael…

Alanis Morrisette surgia com o álbum Jagged Little Pill, enquanto Bjork causava com o álbum Post. Bandas? Radiohead lançava The Bends e Oasis (!!!) lançava (What’s the Story) Morning Glory.

No Brasil, o panorama era bizarro… O maior sucesso do ano: os Mamonas Assassinas, recorde de vendas do Oiapoque ao Chuí, antes do fim trágico em 1996.

Os astros meteóricos do Mamonas Assassinas brilharam em 95 e partiram em 96

Os astros meteóricos do Mamonas Assassinas brilharam em 95 e partiram em 96

Quem dominava as rádios era o grupo Skank, que tinha lançado o álbum Calango em 94 e lançaria O Samba Poconé em 96, contagiando o Brasil. Todo mundo sabia de cor músicas como Jackie Tequila, Esmola, Pacato Cidadão, Te Ver, Garota Nacional

Mas nada supera a apoteose do axé. O grupo Gera Samba (nome de 1994) em 95 mudou de nome para… É o Tchan, lançando o álbum de mesmo nome e contaminando o país com suas músicas e coreôs eróticas, e consagrando a “diva” Carla Perez!

Inesquecíveis... para o bem e para o mal

Inesquecíveis… para o bem e para o mal

Em tempo: em 1995, a cantora Simone lançou o álbum 25 de Dezembro. Não precisamos nem dizer que esse disco continha a faixa mais odiada do período natalino, e que toca até hoje né? Não vamos citar o nome da música, mas você sabe qual é e só de lembrar já grudou no ouvido!

As lojas tocam todo ano, até hoje, todo mês de dezembro...

As lojas tocam todo ano, até hoje, todo mês de dezembro…

Saca a lista de músicas mais tocadas no Brasil em 1995:

1- Take A Bow – Madonna
2- Vira Vira – Mamonas Assassinas
3- Pelados em Santos – Mamonas Assassinas
4- Have You Ever Really Loved A Woman? – Bryan Adams
5- Kiss From A Rose – Seal
6- Eu Me Amarrei – João Paulo & Daniel
7- Lá Vem o Negão – Cravo & Canella
8- Catedral – Zélia Duncan
9- Na Boquinha da Garrafa – Companhia do Pagode
10- Fantasy – Mariah Carey

MUSOS
Quem eram os musos e musas de 1995? Os globais jovens largavam na frente: Letícia Spiller, Rodrigo Santoro, Márcio Garcia, Luana Piovani, Fábio Assunção… As hoje estrelas da Globo Bruna Marquezine e Marina Ruy Barbosa estavam nascendo literalmente em 95!

Santoro era o par de Claudia Abreu em "Pátria Minha", em 95

Santoro era o par de Claudia Abreu em “Pátria Minha”, em 95

O “muso” da política era Fernando Henrique Cardoso, que assumiu a Presidência da República em janeiro de 1995, no cargo que ocuparia por 8 anos. O Real era estável – o Dólar estava 1 Real!

No mundo da moda, as tops eram Claudia Schiffer, Linda Evangelista, Christy Turlington, Claudia Liz, Naomi CampbellGisele Bundchen despontava mas ainda não era notícia. E quem deu o tom para o estilo, o corpo e a personalidade da década foi a inglesa Kate Moss.

Kate Moss foi a silhueta da década

Kate Moss foi a silhueta da década

Xuxa e Madonna não tinham filhos. Mas eram tendência, sempre lançando modas. Madonna namorava Carlos León, de quem engravidaria no início de 96 – Lourdes Maria nasceria em outubro daquele ano.

Mas quem causou mesmo no Brasil foi… Adriane Galisteu. Viúva de Ayrton Senna fazia 1 ano e 4 meses, Galisteu foi capa da Playboy em agosto de 95, no polêmico ensaio clicado na Grécia. Foi recorde de vendas.

A mulher brasileira mais desejada em 95: Galisteu

A mulher brasileira mais desejada em 95: Galisteu

MODA
Tailleurs com saias curtíssimas para as mulheres de 50 anos. Look de Andrea Beltrão da novela A Viagem (1994) para as garotas: saia com jaqueta jeans, mochila, meião, gargantilha de veludo preto com pingente…

A onda grunge vinha desde 1994, influenciada por Kurt Cobain (que morreu em 1994) e outros roqueiros de Seattle: jeans, camisa de flanela, cabelos desgrenhados…

A onda clubber vinha desde 1993, bombada pelas boates gays de São Paulo: looks espaciais, camiseta com neon e brilho prata, óculos escuros na pista de dança…

As drag queens explodiam no mundo todo, impulsionadas pelo filme australiano Priscilla, a Rainha do Deserto (1994) e pelo americano Para Wong Foo Obrigado por Tudo Julie Newmar (1995). Ainda não se falava em transexualidade.

Wesley Snipes, John Leguizamo e Patrick Swayze eram as drags de "Para Wong Foo..."

Wesley Snipes, John Leguizamo e Patrick Swayze eram as drags de “Para Wong Foo…”

Com o sucesso da novela Explode Coração, virou moda o look cigano. Festas temáticas bombaram, e as meninas compravam saias ciganas e aprendiam as danças típicas.

Outras extravagâncias: macacão largo (tipo jardineira), mechas loiras no cabelo, tererês…

TECNOLOGIA
Surgiu o… Windows 95! O Microsoft Windows 95 foi lançado em 24 de agosto daquele ano e revolucionou o mercado de sistemas operacionais, sendo o principal lançamento da empresa na década de 90.

Era o auge da tecnologia!

Era o auge da tecnologia!

Celulares? Em 95 surgiam os aparelhos apelidados de “Tijolão”, que mais pareciam um telefone sem fio comum. Já existiam também os modelos da Motorola, apelidados de “Tijorola”. Só em 96 surgiria o celular de tamanho reduzido, como o Nokia 9000. E claro, nenhum deles tinha internet, que aliás… estava nascendo.

Meu Deus...

Meu Deus… Sim, isso era um celular

Falando nela: em 95 surgem os primeiros sites de empresas, além de sites de bandas como Biquíni Cavadão e Barão Vermelho. Também em 95 entra no ar o UOL, Universo Online. E nasce a 1ª rede de IRC brasileira, a Brasirc.com.br. Vale lembrar que a internet era… discada!!!

Redes sociais? Não, não, não existia esse tipo de campo de batalha. Nada de Facebook, Linkedin, Orkut, Twitter, Instagram, Snapchat… Nem aplicativo de pegação ou de romance, ninguém mandava nudes nem fazia selfies. Aliás, fotos eram com câmera analógica, com filme, e as fotos tinham de ser reveladas depois – e custava caro revelar um filme de 36 poses…

Não tinha 99Taxis, nem GPS, nem Waze, nem aplicativo pra buscar comida, nem Google, nem YouTube, nem Wikipedia… Nada!!!

Enfim, havia a vida. Olhando para trás, dá um aperto no coração e uma impressão de que o mundo era mais ingênuo, menos sitiado, menos extremista, menos em pé de guerra. Não havia tanto patrulhamento político, religioso, social. Era um mundo talvez mais… feliz?

Bem-vindo a 2015, Chatô, o Rei do Brasil!

Trailer – Chato^, o Rei do Brasil

Fechar X
Sem mais artigos