Steve Wozniak, fundador da Apple ao lado de Steve Jobs, assistiu à cinebiografia de seu antigo colega, jOBS, com Ashton Kutcher, que estreou comercialmente nos Estados Unidos na última sexta-feira (16). Em resposta a uma resenha do site Gizmodo, que descreveu o projeto como “um filme sobre Steve Jobs trabalhando mais do que sobre o trabalho de Steve Jobs”, o programador, que já vinha criticando o roteiro do filme, falou sobre suas impressões a respeito da obra. Leia na íntegra:

“Eu vi o filme hoje à noite [dia 16 de agosto]. Eu achei que a atuação no geral foi boa. Eu fiquei atento e entretido, mas não o suficiente para recomendar o filme. Um amigo meu me disse que não queria assistir a ficção e por isso não estava interessado em ver. Eu suspeito que muito do que estava de errado com o filme veio da própria imagem que Ashton tinha de Jobs. Ashton fez afirmações insinceras e incorretas sobre mim recentemente (incluindo eu ter supostamente dito que o filme era ruim, o que provavelmente veio de ele acreditar nas manchetes de veículos de imprensa pop) e que eu não gostei do filme porque eu fui pago para fazer consultoria para outro filme [produzido pela Sony Pictures, baseado na biografia autorizada do empresário, escrita por Walter Isaacson, ex-editor da revista Time]. Qualquer filme teria me pagado para ser consultor, mas jOBS já tinha um roteiro escrito. Eu não posso tirar a liderança criativa de outra pessoa. E eu fiquei desapontado com o roteiro de jOBS. Ainda assim, esperava por um ótimo filme. Em relação a comprometer princípios por dinheiro, eu adicionarei um detalhe deixado de fora do filme. Quando a Apple decidiu não recompensar amigos que ajudaram no início, eu dei grandes pedaçoes de minhas próprias ações. Porque era o certo a se fazer. E eu tornei possível para 80 outros empregados terem ações antes da oferta pública incial, para que eles pudessem dividir a riqueza. Eu me senti mal por muitas pessoas que eu conheço bem, pleo fato de elas serem retratadas erroneamente em relação a suas interações com Jobs e com a companhia. O filme termina bem no momento em que o grande Jobs finalmente encontra o sucesso com produtos (o iPod) e muda tantas de nossas vidas. Eu sou grato a Steve Jobs por sua excelência na era “i” e por sua contribuição em minha própria vida, que posso desfrutar desses grandes produtos. Mas esse filme o retrata como tendo essas habilidades em tempos anteriores”.

Em jOBS, dirigido por Joshua Michael Stern, Josh Gad interpreta Steve Wozniak. O filme tem estreia no Brasil marcada para o próximo dia 1º de novembro.

Sem mais artigos