O Festival de Cinema Internacional de Berlim concederá o Urso de Ouro honorário em sua próxima edição ao diretor britânico Ken Loach, um prêmio de reconhecimento a toda sua trajetória profissional, anunciou nesta sexta-feira a organização.

“Ken Loach é um dos grandes diretores europeus e demonstrou uma extraordinária continuidade durante quase 50 anos, embora tenha sido sempre inovador”, ressaltou o diretor do Berlinale, Dieter Kosslick.

“Loach expressa seu profundo interesse pelas pessoas e seus destinos, além do compromisso de crítica social com diferentes técnicas cinematográficas”, acrescentou Kosslick em comunicado.

Ken Loach, de 70 anos, começou a se destacar ainda em 1966, quando lançou o drama Cathy Come Home, um semidocumentário da BBC sobre uma família sem-teto do Reino Unido. Na ocasião, o filme alcançou uma audiência de 12 milhões de pessoas e chegou a bloquear as linhas telefônicas da emissora com chamadas de pessoas oferecendo ajuda.

Segundo o diretor do Berlinale, esse filme fez com que os políticos passassem a se preocupar com a questão da moradia e, até o momento, continua sendo uma dos filmes mais influentes da história da televisão britânica.

Após o êxito de seu primeiro longa-metragem, Loach emplacou outros sucessos, como Kes (1969), O Vigia (1980), Ventos de Liberdade (2006) – com o qual conseguiu a Palma Ouro de Cannes -, e o mais recente The Sprit of’45 (2013).

Mestre em um segmento entre o documentário e a ficção, Loach demonstra constantemente sua paixão em contar histórias sobre o dia a dia das pessoas e em abordar assuntos sociais controversos, ressaltou o diretor Festival de Cinema de Berlim.

“Homenageamos a Ken Loach como diretor e como um homem que reflete as injustiças sociais, frequentemente com humor, em seus filmes”, completou Kosslick.

Como parte da homenagem, a 64ª edição do Berlinale, que será realizada em fevereiro do ano que vem, exibirá uma seleção de dez de Loach.

Fechar X
Sem mais artigos