Gloria Perez, que escreve a nova série da TV Globo, Dupla Identidade, disse em entrevista que ela e Hans Donner, designer da emissora, anteciparam criações como o Skype e a tecnologia de touchscreen (tela sensível ao toque). Na novela Explode Coração, que tratava da internet quando a rede ainda engatinhava, em 1995, havia uma tecnologia que permitia fazer chamadas de vídeo. Na abertura, um modelo usava um gadget parecido com o iPad, criado apenas 15 anos mais tarde por Steve Jobs, da Apple.

Assista ao vídeo:

“É muito engraçado lembrar isso. Comecei a preparar a novela em 1994 e ela foi ao ar em 1995. Achavam um delírio as pessoas se comunicando através de computadores. Eu e Hans Donner estávamos inspirados: ele imaginou o touch screen na abertura, bem antes de Steve Jobs e do iPad”, aponta a autora. “E eu bolei um programa, pai do skype, para que a personagem Dara (a cigana) e Julio (o senador) se encontrassem. Pena que, na época, a gente não pensou em registrar os inventos”, relembrou.

Em Dupla Identidade, Bruno Gagliasso vive um serial killer com sede de justiça. Luana Piovani será uma investigadora que faz de tudo para revelar a identidade do assassino. Débora Falabella fecha o trio de protagonistas, como uma mulher sensível que cairá nas garras do criminoso. “Ela é a mulher carente, de personalidade fluida, e sempre a vítima perfeita de um psicopata: precisa se entregar completamente ao outro para encontrar uma identidade. E ele precisa controlar completamente o outro”, contou Gloria em entrevista à revista Época.

Dupla Identidade estreia na TV Globo em setembro.

Fechar X
Sem mais artigos