A dona do sorriso mais festejado do cinema, Julia Roberts, completa 46 anos nesta segunda-feira (28). Com 26 anos de carreira na telona – ela começou com o pequeno Firehouse, de 1987 -, Julia ainda é sinônimo de grandes bilheterias.

Foi com Uma Linda Mulher (1990), hoje clássico cult e repeteco indispensável da Sessão da Tarde, que ela despontou, vivendo uma prostituta “de bom coração” que tem um romance com um executivo vivido por Richard Gere. Até hoje, os acordes de guitarra de Pretty Woman, de Roy Orbinson, evocam ao sorriso da atriz. O mesmo vale para a melosa balada She, de Elvis Costello – trilha da comédia romântica Um Lugar Chamado Notting Hill

Ela nunca foi queridinha dos críticos, mas tem seu respeito; salvo um outro deslize, sempre soube escolher papéis comerciais sem sujar a própria barra. O grande público, por outro lado, a adora incondicionalmente. E deve continuar adorando. Em seu último trabalho, assumiu pela primeira vez uma vilã “100%” como a Rainha Má em Espelho, Espelho Meu, remake da Disney para o conto infantil Branca de Neve.

Agora, aposta em mais um personagem multifacetado no elogiado August: Osage County. O filme trata de uma família disfuncional, cujos problemas giram em torno da matriarca vivida por Meryl Streep. A “nova” Julia Roberts, já madura e nem um pouco doce, aparece no pôster do filme, no qual ela ataca Meryl. Nada de sorriso: a expressão, agora, é de raiva. Mas nada que abale o inevitável sorriso de Julia no inconsciente hollywoodiano.

Virgula compilou imagens do sorriso de Julia Roberts ao longo de sua carreira. Veja na galeria. 

Fechar X
Sem mais artigos