hero2-d3f476cd0cd289d1750fa6cd58b9d519

Apesar de ainda discutirmos situações absurdas de violência, agressão e abuso às mulheres, quem abre as portas das casas pelo mundo para receber estrangeiros e viajantes são elas. Uma pesquisa do Airbnb, serviço online de anúncios e reservas de acomodações, descobriu que mais da metade das casas anunciadas têm mulheres como anfitriãs. Na maior parte das vezes, a renda obtida por meio da plataforma é responsável pela independência financeira das anunciantes, fator determinante na hora de entrar para o serviço.

Ainda de acordo com o estudo, essa é a grande motivação das brasileiras, que também são maioria no comando das casas pelo país: 51% afirmaram que estão na comunidade para fazer uma renda extra. Aproveitar aquele quarto que está sobrando em casa e conhecer gente nova, de outras nacionalidades, são outras motivações para essas mulheres, muito além da questão financeira. Em alguns casos, elas mesmas foram hóspedes de alguma acomodação do Airbnb, em outro país, e querem poder retribuir a experiência.

A comunidade online também reúne exemplos bem legais de mulheres que decidiram entrar para o jogo, sem medo de compartilhar o próprio lar. Uma delas é Rosa Sanchez, de 62 anos, que mora na Espanha. Ela resolveu abrir a casa depois do falecimento do marido, tristeza que veio acompanhada de outras dores de cabeça – financeiras, principalmente. A pensão não era suficiente para acertar as contas, por isso a renda extra veio a calhar. Ela recebe hóspedes do mundo todo em sua casa, experiência que tornou o luto um pouco menos doloroso, também.

Bonito, né? Aproveite e veja algumas das casas que são o sonho de consumo de qualquer apaixonado por viagens, na galeria abaixo:

Fechar X

 

 

 

Fechar X
Sem mais artigos