O governo holandês anunciou que os tours guiados pelo famoso Distrito da Luz Vermelha, em Amsterdã, serão banidos. A medida visa proteger as garotas de programa que trabalham na área e evitar que pessoas se tornem uma atração turística.

Em nota, o vereador Udo Kock, responsável pela proposta, citou que “passeios pelas vitrines de prostituição causam muita agitação no Distrito da Luz Vermelha e não respeitam as profissionais do sexo. Por isso, a partir do próximo ano eles não serão mais permitidos.”

De acordo com a declaração, os passeios têm um impacto negativo no mercado do sexo para 80% dos empresários e as trabalhadoras são constantemente incomodadas por turistas e fotos tiradas sem consentimento.

O governo também implementará outras medidas para controlar o turismo em massa que têm atrapalhado residentes e empresas locais: passeios guiados pelo centro poderão ter 20 pessoas no máximo e turistas precisarão pagar um imposto de entretenimento. Todas essas medidas entrarão em vigor a partir do dia 1º de Janeiro de 2020. A única que começará a valer já no dia 1º de Abril deste ano é a proibição dos tours pelo Distrito da Luz Vermelha após às 19h – atualmente, eles são permitidos até às 23h.

Algumas companhias turísticas aplaudiram a decisão, entre elas, a Intrepid Travel. À rede norte-americana CNN, eles explicam que “os moradores locais de qualquer destino nunca devem ser tratados como atrações turísticas. Ao contrário, uma viagem deve proporcionar ao turista contato com os residentes de uma forma responsável”.

Fechar X
Fechar X