‘Brasil está no top 3 dos mercados internacionais’, diz Visit Orlando

Fabiano Alcântara

Por

Atualizado em 14/11/2017

Leo Salazar, do Visit Orlando, em São Paulo

Divulgação Leo Salazar, do Visit Orlando, em São Paulo

Leia mais

Seja pela clima quente ou pela hospitalidade e culinária sulista, os brasileiros adoram Orlando. Mas o que os conterrâneos gostam mesmo é da sensação de segurança e das opções de entretenimento. Esta é a opinião de Leo Salazar, gerente de PR (relações públicas) de Visit Orlando para América Latina.

Recentemente, Leo recebeu jornalistas para um almoço em que foram servidos pratos inspirados na gastronomia da cidade. Na entrevista, ele fala, entre outros assuntos, sobre seus restaurantes preferidos e se a crise afetou a presença de brasileiros em Orlando.

Em maio deste ano, o Visit Orlando, órgão oficial de turismo da cidade, anunciou recorde de visitas este ano. O mercado brasileiro está nos top três internacionais, segundo contou o relações públicas ao Virgula.

Lake Eola, Orlando

Divulgação/Visit Orlando Lake Eola, Orlando

Quantos brasileiros visitam Orlando por ano?
Leo Salazar - Em 2016, o número de visitantes na cidade de Orlando atingiu 68 milhões, 10% de visitantes de mercados internacionais. O primeiro trimestre foi um período de crescimento moderado e contínuo na indústria de turismo de Orlando, incluindo aumento na ocupação, número de diárias de hotéis, passagens aéreas e oferta de empregos. O mercado brasileiro é um dos mais importantes para Orlando, estando no top três dos mercados internacionais.

Por que acha que os brasileiros se identificam tanto com a cidade?
Leo - Orlando é um destino seguro e com muito entretenimento. Os brasileiros que visitam a cidade conseguem se divertir com tranquilidade e vivenciam experiências marcantes e divertidas, fazendo com que sintam grande afinidade com Orlando e nossas atrações icônicas. Por isso, mantemos nosso compromisso de continuar essa relação, assegurando iniciativas de marketing no Brasil para nos mantermos como destino top of mind.

Gastronomia tem sido um ponto central da divulgação recente de vocês. Pessoalmente, quais são seus favoritos na cidade?
Leo - Com tão grande diversidade na gastronomia – restaurantes, food trucks, mercados ao ar livre e chefs renomados – é difícil dizer qual é meu favorito porque eu aprecio muito a arte de comer. Eu gosto do Luma on Park, no Winter Park, e do novo Dove Cote, em Downtown Orlando. Também aprecio muito os pratos do Dragonfly e Urbain 40, ambos na Restaurant Raw, e Yardhouse e Tapa Toro, localizados no complexo I-Drive 360.

Além disso, destaco a experiência gastronômica oferecidas no East Market, em Winter Park, Plant Street Street Market, em Winter Garden, e food trucks no Tasty Tuesday, em Milk District. 4.

Você é PR (relações públicas) do Visit Orlando para toda América Latina, que outros países mais vêm crescendo em número de visitantes? Isso é algo que está atrelado diretamente à economia?
Leo – A US Travel Association prevê que o número de visitação já volte a crescer entre 2017 e 2018. Com muitas atrações inauguradas neste ano, e outras por vir nos próximos anos, estamos muito otimistas. Teremos ainda mais razões para o público da América Latina, incluindo os brasileiros, para visitar Orlando. Estamos vendo sinais encorajadores em pesquisas de intenções de viagem e dados de companhias aéreas que nos tornam otimistas.

A crise afetou a visitação de brasileiros em algum momento?
Leo – Apesar de reconhecermos os desafios pelo qual a economia do Brasil vem passando, nós continuamos vendo turistas brasileiros nos parques, nos shoppings e nos restaurantes. Apesar de nos mantermos cautelosos sobre o cenário futuro, Orlando possui uma longa história com os brasileiros, como o principal destino para viagens em família, e o Brasil continua sendo um dos mais importantes mercados internacionais. Por enquanto nossa pesquisa não mostra um declínio de nossos principais mercados internacionais e nossas ações de marketing continuam focadas em assegurar valor e experiência nas férias em Orlando.

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários