Autoridades de alguns países estão preocupadas com um tipo de turismo que vem crescendo: caça a vulcões ativos.

Segundo o site Insider, vários episódios têm feito alguns países considerarem parar de emitir informação quando vulcões tiverem ativos e proibir definitivamente aproximação de pessoas em áreas vulcânicas.

No início do ano, 23 pessoas ficaram feridas quando uma explosão de lava atingiu um barco cheio de turistas no Havaí. No ano passado, um menino de 11 anos caiu em uma cratera na Itália. Seus pais também morreram ao tentar salvá-lo.

“As pessoas estão se arriscando demais para verem de perto um vulcão ativo. Elas precisam entender que vulcões são uma das forças da natureza que verdadeiramente o poder humano não consegue controlar. Não podemos fazer nada durante erupções para reduzi-las, apenas correr para longe”, disse o geólogo Amy Donovar à CNN.

Países como Islândia têm agências especializadas e profissionais treinados para este tipo de turismo. Mas, mesmo assim, visitantes têm se aventurado sozinhos durante a noite e em áreas proibidas para chegar perto dos vulcões em atividade.

Fechar X
Sem mais artigos