As entradas USB nos aeroportos são bem úteis na hora do aperto e salvam os usuários com pouca bateria. Porém, a praticidade pode custar caro: esses acessos podem se tornar uma porta para cibercriminosos que visam fazer o download de dados do seu celular.

O alerta foi feito por Caleb Barlow, vice-presidente da X-Force Threat Intelligence, da IBM Security, em entrevista à revista Forbes. “Plugar (os aparelhos) em uma entrada USB pública é como usar uma escova de dentes encontrada na estrada. Você não sabe por onde ela esteve”.

Ele explica que cibercriminosos conseguem modificar entradas USB a fim de instalar malwares em celulares e baixar dados, sem o conhecimento do dono. “Lembre-se que entradas USB podem transportar dados”, ressaltou.

O opção mais segura é plugar o carregador em uma tomada ou levar o próprio carregador portátil. Caso queira utilizar as entradas públicas, Barlow indica utilizar um gadget chamado ‘Juice-Jack Defender’, cuja principal função é bloquear dados de passarem pelo cabo.

Carregar o celular com cabos encontrados ao acaso? Nem pensar, alerta Barlow.

“Digamos que eu seja um criminoso. Vou ao aeroporto e não conseguirei modificar as entradas USB facilmente, então é mais simples ‘esquecer’ um cabo. Se você ver um cabo da Apple largado, as chances de pegar e usar são grandes. Mas dentro dele há um chip extra que envia malware. Você está carregando seu celular, mas agora eu tenho acesso ao seu computador”, explicou à publicação.

De acordo com uma nova pesquisa da IBM Security, um número cada vez maior de hackers está direcionando seus ataques a turistas. A indústria de transporte se tornou a segunda mais atacada por esses criminosos: em 2017, por exemplo, ela ocupava a 10ª posição.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos