O ano tá quase no fim e é impossível não sonhar com férias e viagens bacanudas, seja na companhia de amigos queridos ou mesmo da família. Se não rolou aquele planejamento básico, tampouco a compra das passagens com destino à felicidade com uma certa antecedência, a dica é segurar a ansiedade e guardar os trocados para uma viagem mais para a frente, com tempo para pesquisar e analisar as melhores ofertas.

Qual o sentido dessa conversa? Calma, a gente te explica. Seguindo a lógica básica das empresas de turismo e das companhias aéreas, comprar passagens de última hora é a maior cilada, a não ser que uma promoção-relâmpago aconteça às vésperas da viagem. Mesmo assim, é arriscado demais esperar por esse milagre; por isso o planejamento é tão importante e a “espera” vale a pena.

“Comprar os voos de última hora é a pior escolha, sempre. Essas passagens são reservadas para executivos, por isso os preços vão às alturas; eles chegam a ser dez vezes o valor promocional, em alguns casos”, explica Denis Carvalho, editor-chefe do Melhores Destinos, site que divulga promoções de passagens aéreas nacionais e internacionais. O inverso (muita antecedência), de acordo com Denis, também não é a melhor alternativa. O ideal é fechar as passagens de 30 a 60 dias de folga.

O buscador global de passagens aéreas e hotéis momondo realizou um estudo que aponta o melhor momento para comprar passagens – o resultado não destoa muito do que foi dito ali em cima: a data perfeita é fechar a compra com 53 dias de antecedência, em meses de baixa temporada e em horários pouco convencionais, como no caso de voos noturnos. São pequenos detalhes que, na ponta do lápis, acabaram revelando uma economia impressionante. Com essa grana, dá para aproveitar melhor as atrações da cidade ou país escolhido como destino, certo?

Também é importante fugir das armadilhas e erros mais comuns na hora de se planejar. Denis Carvalho comenta que os “turistas de primeira viagem” normalmente pecam em seis pontos fundamentais:

1. Comprar em cima da hora, pois os preços costumam ser bem mais altos;

2. Não estar certo quanto às datas, já que remarcações e cancelamentos são muito caros;

3. Não pesquisar e ignorar as promoções – os preços mudam o tempo todo;

4. Ignorar as milhas aéreas, que são uma fonte excelente para viajar;

5. Buscar passagens apenas para a alta temporada;

6. Não ser flexível com datas e destinos, o que às vezes elimina grandes oportunidades

Deu um nó na cabeça? Pode ficar tranquilo, o Virgula separou algumas dicas bem simples e básicas para quem quer planejar uma viagem de avião vantajosa e econômica, sem precisar fazer loucuras ou dormir no aeroporto. Clique na galeria aqui embaixo e boa viagem!

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos