Dezenas de moradores, incluindo crianças, da vila de Sandavágur, pintaram o mar da região de vermelho ao capturarem e matarem cerca de 180 baleias. O ritual acontece todo verão nas remotas Ilhas Faroé, um território dinamarquês no Atlântico Norte. Como o local não tem muita capacidade agrícola por causa da temperatura, a população usa a carne e gordura das baleias como forma de sobreviver ao inverno rigoroso.

Segundo o site Daily Mail, a matança das baleias nesta época do ano acontece desde o século 16. Os animais são tratados por um tempo na parte rasa do mar e, na época correta, mortos com uma lança que entra pelo pescoço e quebra a coluna cervical.

Apesar de centenário, este procedimento comum na ilha é chocante para quem vê de fora. Tanto que grupos de apoio aos animais criticam a prática dizendo ser cruel e desnecessária. O governo local, no entanto, afirma que a caça às baleias é a única forma sustentável de fazer com que a ilha seja auto-suficiente e não precise comprar alimentos de fora, o que custaria mais dinheiro e danos ao meio ambiente.

As Ilhas Faroé ficam entre Noruega, Islândia e Escócia. O arquipélago tem 18 ilhas maiores e outras tantas menores. Ao todo, mais de 47 mil pessoas, de mais de 70 nacionalidades diferentes, habitam a remota região. Do total, quase 17 mil pessoas vivem na capital, a cidade de Tórshavn, localizada na ilha Streymoy.

Fechar X
Fechar X