O russo Vadim Bondar teve de ser amarrado durante um voo após tentar abrir a porta do avião a mais de 10 mil metros de altitude.

Segundo o site Metro, o médico estava bêbado e foi descrito por outros passageiros como “extremamente agressivo” e “violento”. “Ele tinha duas garrafas de bebida e, de repente, tentou abrir uma saída de emergência. As pessoas então se mexeram para tentar contê-lo, mas ele não parava de gritar”, comentou outro passageiro.

“Ele bebeu rum durante a viagem toda, mesmo o consumo de álcool sendo banido da classe econômica”, disse uma testemunha. Por causa do comportamento perigoso a bordo, passageiros e comissários de bordo se juntaram para conter o homem, que ficou amarrado nas quatro horas finais do voo entre Bangkok, na Tailândia, e Moscou, na Rússia.

“O passageiro estava claramente violando a ordem pública. Foi agressivo, ameaçou e humilhou os atendentes de voo. Ele fez de tudo para criar o máximo desconforto a todos. Não atendeu aos pedidos da tripulação e teve que ser contido”, disse Vera Abanina, porta-voz da companhia aérea Aeroflot. Bondar, de 43 anos, foi tirado do avião pela polícia e deve responder a processo.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos