A presença de imigrantes nos Estados Unidos sempre foi um assunto polêmico para o presidente norte-americano Donald Trump e uma forte bandeira em sua campanha na corrida eleitoral. Mas, apesar dos esforços do político em reduzir a presença de mão de obra estrangeira no país, números do Centro de Estudos da Imigração dão conta de como o mix de nacionalidades faz parte dos Estados Unidos.

Em pesquisa divulgada nesta semana, o Centro informou que 67 milhões de pessoas, aproximadamente 20% da população total do país, não falam inglês em suas casas. Ou seja, se comunicam primordialmente usando suas línguas maternas no convívio com familiares e amigos.

Na Califórnia, estado com a maior população em que o idioma oficial do país não é a primeira língua, 44% das pessoas conversam em outra língua nos círculos mais íntimos. Texas, New México, New Jersey e Nevada são os outros estados com maiores taxas. Enquanto West Virginia, Mississipi, Montana, Alabama e Vermont são os estados com os menores índices.

Segundo o site inglês Daily Mail, entre as maiores cidades do país, o levantamento concluiu que 49% dos moradores de Nova York e Houston não falam inglês em seus lares. Em Los Angeles, o número é de 59%, Chicago de 36% e, Phoenix, de 38%.

Do total de 67 milhões de pessoas que estão inseridas neste contexto, 40 milhões falam espanhol em casa. Depois, 3,5 milhões priorizam o uso do chinês, seguido por tagalog (a língua das Filipinas), vietnamita , árabe, francês e coreano.

Fechar X