Uma história de boa vontade e compreensão se tornou viral nos últimos dias. A norte-americana Lori Gabriel dividiu nas redes sociais o desenrolar de um voo em que seu filho Braysen, de quatro anos, diagnosticado com autismo, teve episódios de ansiedade. Ela contou que geralmente ele gosta de viajar, mas que neste dia estava agitado demais.

No início, o menino não queria colocar o cinto e só se acalmava se estivesse sentado no chão. A família foi informada que o avião não podia decolar sem a criança estar na poltrona. Então, inesperadamente, três pessoas da tripulação da United Airlines se ofereçam para ajudar. “Eles autorizaram que meu filho ficasse no meu colo durante a decolagem, enquanto meu marido tentava acalmá-lo”, contou à CNN.

Após a decolagem, Braysen não parava quieto. Ele chutou passageiros ao redor e foi até a primeira classe. Lá, ele bateu nas cadeiras e pedia para sentar com outras pessoas. “Eu fiquei muito surpresa porque todos foram muito compreensivos. Várias pessoas na primeira classe deixavam ele sentar onde quisesse, lhe perguntavam seu nome, tentavam interagir e acalmá-lo, lhe mostravam fotos no celular. Um homem até disse que ele podia chutar sua cadeira o quanto quisesse que ele não se importava. Ao mesmo tempo, a tripulação sempre perguntava a nós e às outras pessoas como poderiam ajudar”, contou a mãe.

Após o fim do voo, uma passageira entregou à Lori um bilhete. “Você e sua família são amados e têm apoio. Nunca deixe ninguém fazer vocês sentirem que são inconvenientes ou um fardo. O seu filho é uma benção. Deus te abençoe pela sua paciência, seu amor e sua força. Continue a ser uma super mulher”, escreveu a passageira que estava próxima da família no avião.

A história se tornou viral e a companhia aérea também postou um tweet comentando o assunto. “Ficamos felizes de saber que nossa equipe fez deste voo uma boa experiência para todos. E ficamos ainda mais felizes de saber que temos passageiros tão amáveis e solidários! Esperamos ver Braysen em breve!”, escreveu.

Foto da família no Facebook: eu amo alguém com autismo, diz a legenda

Página reúne quais comportamentos, na verdade, são considerados estranhos e inapropriados em voos:

Fechar X

 

Fechar X
Sem mais artigos