A essa altura do campeonato, você já deve ter visto (ou pelo menos ouvido falar sobre) o festival de absurdos ditos pelo candidato à presidência da república Levy Fidelix no debate da Record deste domingo (29). Ao ser questionado por Luciana Genro sobre a sua posição em relação ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, o candidato do PRTB fez um discurso que foi um verdadeiro show de horrores. Se você não tiver medo de se encolher de dor e repugnância, veja o vídeo neste link.

Aqui, sete motivos para não apoiar um candidato homofóbico (como se precisasse de outros além do primeiro):

1. A discussão em si já é absurda. É absurdo estarmos em 2014 e ainda existir a discussão se gay pode ou não casar. Não há nem o que comentar.

 

2. Dois iguais não fazem filhos. Taí mais um motivo para votar a favor do casamento entre dois iguais. O mundo já está cheio de gente e além disso já foi comprovado que casais do mesmo sexo criam melhor os seus filhos.

 

3. Vamos acabar com as minorias? Acredite ou não, esse foi um dos argumentos de Fidelix em seu discurso. Em um momento no qual o mundo luta contra crimes de racismo, machismo e homofobia, um político ter voz para aparecer na televisão e falar esse monte de bobagens é simplesmente inaceitável.

 

4. Valorizar a família tradicional? Sério. O que é a família tradicional? Em que mundo alguém que acha que “família” é pai, mãe, filho, vovô e vovó vive? Alguém dê um choque de realidade nessa pessoa.

 

5. O aparelho excretor não reproduz? Alguém que diz uma coisa dessas, certamente gostaria de decretar que a partir de hoje o sexo deve ser feito apenas com a finalidade de reprodução. Só nos resta rir para não chorar.

 

6. Ninguém aguenta mais violência contra minorias. Um discurso desses em rede nacional é mais um motivo para dar aval aos crimes que acontecem diariamente contra homossexuais. A violência não é apenas física, mas também verbal (que às vezes é tão grave quanto).

 

7. Em um mundo sério, alguém que fala essas coisas estaria na cadeia. Crime de ódio é coisa séria. Não dá mais para ser conivente com discursos desse tipo e achar que tá tudo bem. Vergonhoso, pra dizer o mínimo.

 

Sem mais artigos