A Abercrombie & Fitch, famosa marca norte-americana, tem usado uma metodologia pouco ortodoxa como forma de punir os funcionários de sua sede em Milão. É o que aponta a união CGIL, uma espécie de sindicado italiano dos trabalhadores, que se queixou quanto a política da loja, após ser informada que os funcionários do sexo masculino são obrigados a fazer 10 flexões e as mulheres, 10 agachamentos quando cometem algum erro. 

Não é a primeira vez que a marca se envolve em polêmica relacionada a preconceito e maus tratos de seus empregados. Em 2004, ela foi acusada de desmerecer um grupo de negros, hispânicos e asiáticos dos EUA, durante um processo seletivo. Além disso, trabalhadores de uma fábrica no sul da Itália afirmaram recentemente que foram obrigados a se levantar e dizer “eu sou um m*” na frente dos colegas depois de cometer erros.

As informações são do The Guardian.

Sem mais artigos