Uma estudante de Utah, nos Estados Unidos, surpreendeu a mãe e a professora de matemática ao mostrar que, aos 10 anos, já tem consciência do quanto a comparação de peso entre crianças pode prejudicar a autoestima.

Rhythm Pacheco estava fazendo a lição de casa quando chamou a mãe e a alertou: “mãe, vem aqui ler esta questão! Não vou respondê-la, é tão errada”, contou a mãe Naomi ao programa ‘Today’.

O problema matemático perguntava: “a tabela da direita mostra o peso de estudantes da quarta série. Quantos quilos a mais Isabel tem em comparação com a aluna mais leve?”.

Preocupada em como as meninas poderiam se sentir inseguras em relação ao peso após lerem a questão, Rhythm respondeu: “o quê!? Não vou escrever isso, é grosseiro”. Em uma nota à parte, a menina explicou à professora que seu intuito não era ser “desrespeitosa”, mas o problema “não era legal pois julgava o peso das pessoas”. “Outra razão que eu não escrevi a frase é porque eu não acho isso bacana”, completou.

Para resolver a situação de forma ‘diplomática’, a estudante achou melhor apenas registrar a conta e a diferença numérica, mas sem citar nomes. E felizmente a professor entendeu seu ponto de vista. “Ela conversou comigo e senti que estava do meu lado”, explicou Rhythm ao programa.

Apesar da lição de casa parecer trivial, Naomi se disse orgulhosa da filha: “todas nós fomos feitas em diferentes formatos e tamanhos. Não é aceitável perguntar ‘quantos quilos a mais Isabel tem em comparação com a aluna mais leve’. Questões como essa mais prejudicam do que ajudam a autoestima e imagem que temos do nosso corpo”.


Sem mais artigos