As pinturas realistas de águas e cenários naturais

Crédito: Reprodução

Tem arte que deixa a gente simplesmente de queixo caído. É exatamente essa sensação que os trabalhos da artista Zaria Forman transmitem. Ela desenha lindamente com os dedos, e cria imagens que parecem saltar da tela de tão reais. Sério! O trabalho dela se torna ainda mais incrível porque Zaria se preocupa com o nosso meio ambiente. Em agosto de 2012, a artista levou uma expedição para a costa da Groenlândia, refazendo o percurso de 1869 do pintor americano William Bradford, para documentar a mudança climática por lá. Em 2013, repetiu o assunto em outro trabalho, nas Maldivas, o país mais vulnerável a desaparecer caso haja um aumento do nível do mar.  

“Minha inspiração para desenhar começou cedo na minha vida. Por toda a infância, minha família viajou o mundo até os recantos mais remotos, que eram o objeto da fotografia artística de minha mãe. Eu desenvolvi um apreço pela beleza e vastidão do mar e do céu, sempre mutantes. Eu adorava assistir uma tempestade ao longe nas planícies do deserto a oeste, as chuvas de monções no sul da Índia e as luzes geladas do ártico iluminando as águas da Groelândia.” Ah! e vale lembrar que Zaria doa parte do dinheiro das vendas de suas pinturas a pastel para entidades de preservação da natureza.

Olha aí que pinturas incríveis:

  As pinturas realistas de águas e cenários naturais

Crédito: Reprodução

 Tem arte que deixa a gente simplesmente de queixo caído. É exatamente essa sensação que os trabalhos da artista Zaria Forman transmitem. Ela desenha lindamente com os dedos, e cria imagens que parecem saltar da tela de tão reais. Sério! O trabalho dela se torna ainda mais incrível porque Zaria se preocupa com o nosso meio ambiente. Em agosto de 2012, a artista levou uma expedição para a costa da Groenlândia, refazendo o percurso de 1869 do pintor americano William Bradford, para documentar a mudança climática por lá. Em 2013, repetiu o assunto em outro trabalho, nas Maldivas, o país mais vulnerável a desaparecer caso haja um aumento do nível do mar.   "Minha inspiração para desenhar começou cedo na minha vida. Por toda a infância, minha família viajou o mundo até os recantos mais remotos, que eram o objeto da fotografia artística de minha mãe. Eu desenvolvi um apreço pela beleza e vastidão do mar e do céu, sempre mutantes. Eu adorava assistir uma tempestade ao longe nas planícies do deserto a oeste, as chuvas de monções no sul da Índia e as luzes geladas do ártico iluminando as águas da Groelândia." Ah! e vale lembrar que Zaria doa parte do dinheiro das vendas de suas pinturas a pastel para entidades de preservação da natureza.      Olha aí que pinturas incríveis:

Crédito: Reprodução

 Tem arte que deixa a gente simplesmente de queixo caído. É exatamente essa sensação que os trabalhos da artista Zaria Forman transmitem. Ela desenha lindamente com os dedos, e cria imagens que parecem saltar da tela de tão reais. Sério! O trabalho dela se torna ainda mais incrível porque Zaria se preocupa com o nosso meio ambiente. Em agosto de 2012, a artista levou uma expedição para a costa da Groenlândia, refazendo o percurso de 1869 do pintor americano William Bradford, para documentar a mudança climática por lá. Em 2013, repetiu o assunto em outro trabalho, nas Maldivas, o país mais vulnerável a desaparecer caso haja um aumento do nível do mar.   "Minha inspiração para desenhar começou cedo na minha vida. Por toda a infância, minha família viajou o mundo até os recantos mais remotos, que eram o objeto da fotografia artística de minha mãe. Eu desenvolvi um apreço pela beleza e vastidão do mar e do céu, sempre mutantes. Eu adorava assistir uma tempestade ao longe nas planícies do deserto a oeste, as chuvas de monções no sul da Índia e as luzes geladas do ártico iluminando as águas da Groelândia." Ah! e vale lembrar que Zaria doa parte do dinheiro das vendas de suas pinturas a pastel para entidades de preservação da natureza.      Olha aí que pinturas incríveis:

Crédito: Reprodução

Sem mais artigos