O Brasil foi o país do mundo que mais buscou a palavra ‘homofobia’ na internet no último ano, segundo levantamento do Google. A plataforma de buscas fez um estudo sobre os termos mais populares nos últimos 12 meses e o Brasil teve índice máximo de interesse na busca pelo termo.

Em seguida, vieram Bolívia, Costa Rica, Paraguai e Honduras, nesta ordem. A palavra homofobia foi menos buscada no Japão, Tailândia e Irã.

Considerando os estados brasileiros, o termo ‘Orgulho LGBT’ foi mais buscado em São Paulo durante o mês de junho. Seguido por Amapá, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Rio Grande do Norte.

Entre as perguntas que os brasileiros mais digitaram na barra de pesquisas estão: ‘o que é ser homofóbico?’, ‘o que é preconceito homofóbico?’, ‘de que maneira a homofobia e transfobia se materializam?’, ‘quais as causas da homofobia?’ e ‘o que é homofobia institucional?’.

Sarah Cunningham , a 'mãe substituta' de casamentos LGBT

A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Facebook
A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Facebook
A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Facebook
A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Instagram
Sarah e o filho Parker | Créditos: Reprodução/Facebook
Ela também oficializa uniões LGBTQ+ | Créditos: Reprodução/Instagram
A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Instagram
Sarah e a atriz Jamie Lee Curtis | Créditos: Reprodução/Instagram
A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Instagram
A ativista Sarah se oferece para comparecer a casamentos LGBTQ+ e ser a 'mãe substituta' quando as mães ou pais biológicos se recusam a celebrar a união dos filhos | Créditos: Reprodução/Facebook

Brasil é o país que mais busca a palavra homofobia no Google

Sem mais artigos
Sair da versão mobile