Morte de Caroline Flack acende debate sobre imprensa no Reino Unido

Cerca de 350 mil britânicos assinaram uma petição na última semana pedindo regras mais rígidas sobre a maneira dos tabloides de tratar as celebridades do Reino Unido. Um dos motivos foi a morte da apresentadora Caroline Flack.

 

 

Uma das estrelas de televisão mais famosas da Inglaterra, Flack foi encontrada morta em seu apartamento no último sábado. Investigação comprovou que se tratou de um suicídio. Ela tinha apenas 40 anos.

 

Caroline Flack deixou o cargo de apresentadora do programa Love Island, popular reality show do país, após ser acusada de agressão ao namorado. Ela negou. Segundo fontes, o tratamento da mídia sobre o caso irritou tanto a estrela que a levou a cometer tal ato.

 

Após a morte da apresentadora, um debate tomou conta do país sobre a maneira com que a imprensa britânica lida com noticiários sobre famosos. Para muitos, de uma forma hostil e com um “elevado nível de veneno”.

 

Flack sofria de depressão há alguns anos e já havia contado sobre o seu caso a pessoas que faziam parte da sua vida. Inclusive alguns tabloides tinham conhecimento. Entre ooutras coisas, a petição assinada por cerca de 350 mil pessoas pede punição severa à invasão de privacidade, proibição do uso de citações anônimas e proibição da divulgação de registros médicos ou de saúde do indivíduo.

Sem mais artigos