Em 1938 a candidata Mary V. Ford queria se inscrever em um programa de treinamento na área de criação da Disney. No entanto, além de não conseguir o emprego, ela recebeu uma carta de rejeição informando um desanimador motivo: mulheres não eram aceitas porque não tinham a menor chance de trabalhar na área criativa da indústria de animação.

A carta, que nos últimos dias vem sendo compartilhada em inúmeros blogs e sendo disseminada através das redes sociais nos últimos dias, foi encontrada pelo neto de Mary, por Kevin Burg, após a morte da avó e publicada em seu Flickr. 

O texto, ironicamente assinada por uma mulher, informa ainda que pessoas do sexo feminino têm, na empresa, apenas chances de trabalhos básicos e ainda com orientação de um homem.

Passados apenas três anos, a Disney parece ter mudado de ideia sobre a capacidade feminina já que Retta Scott, a pioneira em aparecer nos créditos de um filme da produtora, trabalhou na criação de “Bambi” de 1942.

Carta da Disney de 1939 rejeita mulher a vaga de emprego: "Mulheres não são consideradas”

Sem mais artigos