A capa da revista New York Magazine deste mês traz a transexual Martine Rothblatt, de 59 anos, que é presidente da companhia farmacêutica United Therapeutics e entrou para o topo da lista da Fortune com as mulheres CEOs mais bem pagas dos EUA.

Martine, que fez uma cirurgia de redesignação genital – mais conhecida como mudança de sexo – em 1994, ganhou somente no ano passado US$ 38 milhões (cerca de R$ 85 milhões).

Ainda segundo a revista, Martine se importa com seu gênero o suficiente para se submeter a cirurgias radicais de mudança de sexo, mas não o suficiente para se incomodar se for chamada de “ele” ao invés de “ela”. 

“Eu não posso afirmar que o que eu conquistei é equivalente às conquistas de uma mulher. Na primeira metade da minha vida, eu era um homem”, afirmou à publicação.



Martine é casada com Bina Aspen há 33 anos, quando ela ainda era um homem. “Bina não se considera hetero e nem gay”, conta. A CEO conta ainda que se considera sortuda por Bina ter continuado a ser sua esposa mesmo após a sua transição, mas teve de lidar com o preconceito de outras pessoas.

A empresária ocupa o último lugar na lista dos 10 CEOs mais bem pagos dos Estados Unidos, divulgada pelo The New York Times em junho deste ano. Ela é a única mulher do top 10.

 

Sem mais artigos