O alemão Monty Richthofen, nascido em Munique, é famoso por usar o corpo das pessoas como tela em branco para suas tatuagens. Em seu projeto conhecido como Maison Hefner, os voluntários têm que confiar nele, pois sairão de lá com um desenho que não escolheram.

Monty é também poeta e pintor. Ele usa sua letra para gravar versos nos corpos das pessoas. Em entrevista à edição americana da Vice, ele disse que o processo começa com uma conversa de 30 minutos com as pessoas interessadas. No bate-papo, ele pergunta o motivo pelo qual estão ali e se realmente confiam no trabalho dele. “De acordo com as respostas que recebo, penso na direção que vou tomar”, contou.

Depois disso, o alemão de 23 anos diz pesquisar nos seus cadernos com mais de 5 mil frases a que se encaixa melhor.

Confira o resultado de alguns destes trabalhos na galeria abaixo:

Sem mais artigos