O cantor britânico George Michael afirma que deixou o consumo de cannabis “há mais de um ano e meio” em sua primeira entrevista em cinco anos, publicada nesta segunda-feira (17) pela revista “The Big Issue”.

As declarações do cantor, de 50 anos, ocorrem no dia em que sai à venda seu sexto disco de estúdio e primeiro em uma década, “Symphonica”, gravado durante um tour em 2011, e após várias detenções relacionadas com as drogas.

Em 2010, Michael, que vendeu mais de 120 milhões de cópias no mundo todo, esteve envolvido em um acidente de trânsito pelo qual foi condenado a oito semanas de prisão por dirigir sob os efeitos das drogas e posse de cannabis.

“Decidi mudar minha vida e não voltei a tocar (a droga)”, declarou o britânico em uma entrevista à “The Big Issue”, na qual diz também que não gostou de sua passagem pela prisão, embora “sabia que merecia estar lá”.

Michael disse que agora está vivendo “um estilo de vida mais sossegado”.

No final de 2011, o ex-integrantes do dueto Wham! ficou várias semanas internado em um hospital de Viena por conta de uma grave pneumonia que pôs em perigo sua vida e que lhe obrigou a suspender sua turnê mundial.

“Foi espantoso” e “uma experiência bastante horrível”, apontou o cantor.

A popularidade de George Michael nos 80 e 90 se traduziu em vários prêmios em suas três décadas de carreira, entre eles três Brit, um MTV e oito indicações ao Grammy, ganhando duas vezes.

George Michael é considerado o artista britânico mais reproduzido nas rádios entre 1894 e 2004

Sem mais artigos