Não, não vamos parar de celebrar esse 2016 que mal conhecemos, mas já consideramos pacas. Por ora, pelo menos, né? Aproveitando que ainda tá rolando essa energia boa e a vontade de construir um ano diferente, vale repensar quais comportamentos, hábitos e vícios não vão dar as caras nesse novo ano. O primeiro passo é olhar para tudo o que não merece a nossa atenção e energia e parar de insistir nos vacilos, de vez!

A lista é compacta, claro, mas o que vale é o exercício. Aqui, separamos 8 coisas que definitivamente não merecem cansar a sua beleza em 2016, mas poderiam ser 15, 20, 30… Tudo depende da vontade de mudar, certo?

1 – Expectativas (suas e dos outros)

Calma, essa conversa de que só existe uma chance para fazer as coisas acontecerem não é nem um pouco verdadeira, para dizer o mínimo. Pegar leve consigo mesmo afasta angústias desnecessárias e também aquela ansiedade chatinha que, em vez de ajudar, só atrapalha e atrasa o caminhar natural da vida. Em relação às expectativas alheias, não tem jeito: é impossível agradar todo mundo. Apenas pare, porque o que os outros pensam é de responsabilidade deles, não sua.

2 – Relacionamentos tóxicos

Cobranças, broncas, chantagens, ameaças… Falando de amores ou de amigos, nunca é bom estar por perto de pessoas que parecem praticar o envenenamento alheio por puro prazer e divertimento. Se a relação não é de parceria e compreensão mútua, é melhor partir para outra, de verdade. Gente boa não falta nesse mundo, né não?

3 – Medo de recomeçar

Tem gente que passa a vida inteira arranjando desculpa para o dia ruim, para o chefe raivoso, para o tráfego insuportável das grandes cidades, para a relação apressada e superficial com a família… Dá para mudar, obviamente, contanto que o medo seja encarado como aquilo que ele realmente é: o menor dos seus problemas. Recomeçar, no âmbito profissional ou amoroso, não é a pior coisa do mundo, muito pelo contrário. É a oportunidade de se reinventar e redescobrir prazeres adormecidos. Por que esperar por essa oportunidade só em 2017?

4 – Zona de conforto

Dá para continuar fazendo aquilo que você sabe fazer de melhor? Sim, dá, se não existe nenhuma vontade legítima de descobrir novos mundos, habilidades e conhecimentos. Crescer e amadurecer implica em viver desafios, e isso acontece fora da sua zona de conforto, felizmente. Pode começar aos poucos, como a decisão de sair da casa dos pais, ou começar em um emprego novo, por exemplo.

5 – A vida dos outros

Ué, mas a grama do vizinho não é sempre mais verde? Não. A velha e boa armadilha da “comparação” é outro hábito negativo que precisa ficar no passado, de uma vez por todas. Cada um tem uma experiência de vida própria, com as coisas boas e ruins. Não existe uma regra, ainda bem! Saber compreender que estamos onde deveríamos estar, mesmo naquelas épocas mais complicadas, facilita a jornada e proporciona um aprendizado interessante, sobre o que te trouxe até aqui e o que precisa ser feito a seguir.

6 – Treta de Facebook 

Tem textão que é importante, sim. Mas será que toda treta vale a pena? E se fosse cientificamente possível (talvez seja, aliás) canalizar essa energia para qualquer coisa um pouquinho mais produtiva e menos desgastante? Antes de queimar os dedos em um textão violento, conte até dez e repense outras tarefas do dia que realmente merecem a sua atenção.

7 – O temível e implacável: PASSADO

Parece óbvio dizer, mas não dá para seguir em frente arrastando todas as malas e bagagens pesadas do passado, sinto muito. Remoer desafetos, arrependimentos, escolhas e perdas só serve para atrasar o andar da carruagem e transformar o cotidiano em um punhado de mágoas e nuvens negras. Para continuar andando em frente, é preciso compreender e perdoar o seu próprio passado. Assim, dá para criar espaço para experiências e sentimentos novos, que é o que realmente vale a pena!

8 – Haters

Algumas coisas estão completamente fora do seu controle, não adianta brigar, discutir ou tentar abraçar o mundo. O que as pessoas pensam a seu respeito, por exemplo, é uma delas. Alguns preferem odiar, criticar e apenas apontar defeitos e falhas, ao invés de focar no positivo. Uma pena, não é? Haters gonna hate, goste você ou não. Por que se importar, então?

Haters e textão de Facebook: veja 8 coisas para parar de se importar em 2016

Sem mais artigos