Ah, tudo bem, o ministério de Temer não tem nenhuma mulher à frente. Mas vocês já viram a beleza de Marcela Temer, primeira-dama do novo governo? Essa é a mensagem que está por trás de uma nota veiculada em um jornal de Brasília e repercutida nas redes sociais pela atriz Monica Iozzi. Com a chamada “Feministas”, o jornal  afirma que “várias críticas foram feitas ao governo de Temer pela falta de uma mulher à frente de um ministério. Por si só a beleza de sua mulher, Marcela, como primeira-dama do país, já representa muito bem o charme e elegância da mulher brasileira”.

“No jornal de Brasília. Fiquem à vontade, o vômito é livre”, escreveu Monica Iozzi em sua fanpage no Facebook. Assustador e um pouco decepcionante, já que discussão da formação da equipe ministerial de Temer se tornou tão banal quanto a aparência de Marcela Temer, outrora chamada de “bela, recatada e do lar” pela revista VEJA. A indignação – justificada – não passou em branco: mais de 38 mil pessoas já curtiram esse post da atriz, além de 6,8 mil compartilhamentos e 6,9 mil comentários.

“Brincadeira! A representação feminina é comparada à beleza. Somos apenas o que parecemos e só servimos para estar por trás. Lutamos tanto para que não fossemos vistas apenas como uma capa, beleza exterior, e agora me deparo com isso. Esse é o governo conservador de Temer”, escreveu uma estudante no post de Monica Iozzi. Alguns ainda ofendem e criticam Marcela Temer, sugerindo que o casamento com Michel não passa de fachada, guiado por interesses.

“Os jornalistas precisam entender que a beleza, a elegância e a simpatia de Marcela não ofendem ninguém, tampouco a diminuem enquanto mulher. Tá ficando ridícula a tentativa de reafirmar a burrice ao dizer que nós, feministas, somos contra Marcela e sua beleza. Eles precisam entender que o problema é a forma como os machistas pensam sobre as mulheres. Não tentem nos colocar contra outra mulher. Sabemos exatamente quem são nossos algozes”, ponderou outra seguidora do post.

Sem mais artigos