Você lembra daquela edição especial da Barbie para o dia da mulher? Em que a Mattel lançou uma versão Frida Kahlo da boneca? Pois é, na semana passada, um juiz mexicano proibiu a venda do brinquedo no país. Ele reconheceu que a única proprietária dos direitos da imagem de Frida é a família dela. O problema é que a Frida Kahlo Corporation, que administra os direitos de imagem da pintora, não teria conversado com seus familiares sobre o projeto em parceria com a Mattel, segundo alega a empresa americana.

A ordem do juiz é de que a Mattel e as distribuidoras “se abstenham de realizar qualquer ato que tenda a utilizar a marca, imagem ou obra de Frida Kahlo”. A intenção da família da pintora é abrir processo semelhante nos Estados Unidos assim que o caso mexicano se encerrar.

“A única coisa que a família está pedindo é que, se fizerem algum tipo de produto, que seja algo que finalmente vá ao encontro dos valores da família, dos valores de Frida e que seja congruente com sua imagem, com sua forma de ser”, disse Mara de Anda Romeo, sobrinha bisneta da artista. A família acredita que a boneca deveria ter sido mais realista: “Teria de ser uma boneca muito mais mexicana, um pouco mais escura, a sobrancelha mais junta, não tão magra porque Frida não era tão magra, talvez com uma perna mais curta que a outra e vestida mais mexicana, com jóias mexicanas”.

Sem mais artigos