Nesse sábado 11 de junho, a cantora Lady Gaga esteve no Circus Maximus em Roma durante a Parada do Orgulho Gay e se apresentou diante milhares de pessoas pedindo o fim da descriminação contra os gays.

Vestindo uma peruca verde, ela tocou piano, cantou e se dedicou em denunciar a intolerância e o preconceito contra homossexuais – citou lugares como Oriente Médio, Polónia, Rússia e Lituânia – como locais de grande intolerância.

Ela disse à multidão que é uma “filha da diversidade” e que tem muito orgulho de suas raízes italianas – em seguida declarou seu nome italiano: Stefania Giovanna Angelina Germanotta.

A participação de lady Gaga na marcha pedindo o fim da discriminação contra os homossexuais acaba sendo um recado ao Vaticano que se opõe firmemente a legislação que reconhece o casamento homossexual ou a adoção por casais gays.

Além do Vaticano, Berlusconi, primeiro ministro italiano, também é alvo das manifestações dos gays. Recentemente, ao ser envolvido num escandalo sexual ao se relacionar com uma menor de idade, declarou: “melhor ser apaixonado por uma garota linda do que ser gay”.

Sem mais artigos