A cantora Madonna mostrou mais uma vez estar ao lado do público LGBT (sigla que reúne lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros), na noite do último sábado (16).

Durante o GLAAD Media Awards, a diva pop resolveu ir vestida como um escoteiro, como uma maneira de criticar a “Boy Scouts of America”, maior organização de escoteiros dos Estados Unidos.

O look da cantora foi em combate à discriminação da organização, que proíbe a entrada de homossexuais em suas fileiras. 

“Eu queria ser um escoteiro, mas não me deixaram entrar. Eu acho isso uma bobagem. Eu sei fazer fogo, sei montar barraca, tenho senso de direção e consigo salvar gatinhos de cima das árvores. Sabe, eu quero ajudar a comunidade”.

Na ocasião, Madonna dividiu o palco com o jornalista e apresentador americano Anderson Cooper e o homenageou por ele ter se assumido gay ao público em 2012.
 

 



A canadense Carly Rae Jepsen, que ficou conhecida pelo hit “Call Me Maybe”, também cancelou sua apresentação em um show para os Escoteiros da América que aconteceria em julho, por considerar a organização homofóbica.

Ela divulgou sua decisão pelo Twitter: “Como uma artista que acredita na igualdade para todas as pessoas, eu não vou participar da comemoração dos Escoteiros da América neste verão”, escreveu Jepsen.

“Eu sempre apoiei e vou continuar a apoiar a comunidade LGBT em nível mundial… e continuar informada sobre a paisagem em constante mudança na batalha pelos direitos dos homossexuais no país e em todo o globo”, tuitou a cantora.

A banda Train, que seria outra das atrações do evento, também cancelou a participação, mas afirmou que ficariam felizes em desconsiderar sua decisão se os Escoteiros da América mudarem a política anti-gay.

Sem mais artigos