Um tribunal na Suécia liberou a masturbação em público, levando em consideração que o praticante não esteja fazendo isso para ninguém em particular.

Em 6 de junho de 2013, um sueco de 65 anos baixou o calção em uma praia perto da capital Estocolmo e começou a se masturbar dentro da água. Ele foi acusado de atentado violento ao pudor, mas foi inocentado no início de setembro. Segundo o juiz, não era violação pois ele não “mirava ninguém em específico”.

Segundo o tribunal, apesar de ser possível provar que o homem tirou a roupa e se masturbou em público”, a corte decidiu que o homem não cometeu crime. O promotor concordou com a decisão, mas disse que, no futuro, a prática será enquadrada como “transtorno à ordem pública”.

O argumento usado pelos juízes é que, para que esteja caracterizado o atentado violento ao pudor, o abuso precisa ser “direcionado” a uma ou mais pessoas. Ou seja, não há problema em se masturbar nas praias suecas. Concorda com a decisão dos juízes?

Sem mais artigos