Nang Mwe San se formou em medicina aos 22 anos e, após anos trabalhando na área e em grupos sem fins lucrativos, perdeu o direito de exercer a profissão em Junho deste ano por publicar fotos sensuais. Ao The New York Times, a modelo relatou que o Conselho Médico de Myanmar revogou sua licença após ela se negar a apagar as imagens do Facebook.

“Eles não querem que mulheres cheguem às posições de liderança e as julgam pelo que vestem. Não querem nem que a gente use calças”, afirmou Mwe San à publicação.

Segundo o jornal, ela sempre quis ser modelo e, há dois anos, começou a trabalhar em campanhas e publicar as fotos em sua página no Facebook, atraindo a fúria do Conselho Médico. O pedido pela exclusão das publicações “que violam as tradições de Myanmar” ocorreu em Janeiro deste ano.

Segundo o The New York Times, a organização, composta por 11 homens e apenas duas mulheres, preferiu não comentar sobre o caso.

Já Mwe San planeja recorrer da decisão e retornar às atividades de médica no futuro, quando encerrar a carreira de modelo. “Vou tentar o meu máximo, pois investi muito tempo e trabalhei duro para conseguir o diploma”, mas acrescentou: “não importa o que eu precise enfrentar, não vou desistir de ser modelo”.

Sem mais artigos