Mais um crime  em torno do homosexualismo veio à tona, dessa vez fora do Brasil. O modelo portuquês Renato Seabra, de 21 anos,  foi acusado na morte do jornalista Português e ativista dos direitos gays, Carlos Castro, de 65 anos, em Nova York.

O jornalista foi encontrado espancado e castrado em um hotel da Times Square, onde ele e o modelo estariam hospedados como casal. Após o crime, Seabra foi atendido em um hospital, com cortes no pulso e na cabeça, o que sugeriu que ele havia tentado suicídio.

Segundo o jornal Daily News, logo em seguida, o jovem foi interrogado e confessou o crime à polícia. O New York Post informou que Seabra disse ter torturado o jornalista por mais de uma hora e castrado com um saca-rolhas para “livrar-se dos demônios” da homosexualidade.

A mãe do acusado,disse à uma emissora de televisão portuguesa, que o filho não era homosexual, nem amante de Carlos Castro. O jovem está mantido em um hospital psiquiátrico de Bellevue, em Nova York, sob custódia da polícia.

Sem mais artigos