Com certeza você já deve ter ouvido falar do movimento “Vote LGBT”, que analisa e divulga as propostas dos candidatos a cargos públicos que mostram compromisso com a causa LGBT. O Virgula Lifestyle  conversou com um dos ativistas da campanha, o revisor de texto Marcos Visnadi, de 29 anos, e te conta maiores detalhes do movimento para você ficar por dentro do que está rolando.

De acordo com Marcos, a ideia de criar o “Vote LGBT” surgiu em janeiro deste ano, durante um levantamento que ele e outros amigos fizeram de candidatos engajados na causa para uma matéria da revista Geni. “Depois fomos amadurecendo a ideia e com a proximidade das eleições resolvemos fazer uma campanha própria. Percebemos que iria ser estrategicamente mais interessante ter uma ação direta para este período eleitoral. Foi aí que criamos o site, um perfil no Facebook e uma conta no Instagram“, afirma.

Marcos conta ainda que o “Vote LGBT” tem dois objetivos. O primeiro é listar todos os candidatos ao legislativo nacional, tanto no âmbito estadual quanto no federal, que têm propostas para a comunidade LGBT ou que tem um histórico de luta com a causa. O segundo é divulgar essa ideia e proporcionar o debate da importância de votar com esse enfoque.

Sem fazer a egípcia 

Responsável pela triagem dos políticos, Marcos conta que desde que o site entrou no ar, alguns candidatos resolveram não fazer a egípcia e tomaram a iniciativa de entrar em contato para apresentar suas propostas. “Quando chega uma indicação, primeiro eles são adicionados à lista de possibilidades e depois nós avaliados a sua candidatura. Só são publicados aqueles que possuem propostas pró-LGBT explícitas em material de campanha”, afirma. 

Marcos diz que as pesquisas da candidatura de cada um são feitas através de sites e redes sociais. “Quando um candidato tem site próprio, com as propostas bem estruturadas e oficializadas, facilita bastante nosso trabalho de pesquisa. No caso dos partidos menores, com pouco recurso para campanhas, procuramos no perfil de facebook ou em outras redes sociais”, conta. 

Como se envolver no movimento 

No site oficial do “Vote LGBT”, os próprios ativistas contam como você pode participar da campanha: “Divulgue a campanha no Facebook, no Instagram, no Disponível, onde você puder! Convença as amigues da importância de votar a favor dos direitos LGBT! Converse com quem é simpatizante, fale pras pessoas só votarem em quem defender abertamente a causa LGBT”.

E aí, bora participar? 

Sem mais artigos