Courtney Irby, moradora do estado da Flórida, nos Estados Unidos, entregou as armas do marido, Joseph, por sentir que estava correndo risco de vida se ele tivesse acesso a elas. No entanto, ao chegar na delegacia com as armas, ela foi presa.

Seu marido chegou a ser preso uma semana antes, após uma audiência do processo de divórcio dos dois, depois de bater com seu carro no carro de Courtney propositalmente. A mulher de 32 anos ligou para as autoridades após o acontecido em desespero, alegando “temer por sua vida”. Courtney já havia obtido ordens de restrição contra Joseph antes.

Ele foi preso por tentativa de agressão pelo incidente. Depois de um dia sob custódia, ele foi solto, com a condição de que entregasse suas armas à polícia no seu período de soltura antes de audiência.

Foi então que Courtney foi à casa do marido, de quem é atualmente separada, para pegar duas armas de fogo para levá-las à polícia, alegando que ele não o faria. A polícia alega que ela foi presa pois admitiu ter praticado o roubo. Ela foi liberada após pagamento da sua fiança seis dias depois.

Seu advogado e a deputada do estado da Flórida ambos querem que a promotoria não continue a indiciação contra Courtney. “Roubo seria tirar de alguém o direito de posse ou de propriedade”, disse seu Lawrence Shearer, seu advogado. “Ela estava apenas retornando os itens para a polícia, para sua segurança”.

A violência e o abuso contra a mulher tem muitas formas. Veja aqui outros relatos:

Sem mais artigos