O demissionário primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, disse nesta quarta-feira que, em sua opinião, a família está fundada no casamento e deve ser constituída por um homem e uma mulher.

Monti fez estas declarações no programa “Lo Spoglio”, do canal de televisão a cabo “SkyTG24”, dedicado a entrevistar os líderes políticos da Itália antes das eleições gerais dos dias 24 e 25 de fevereiro.

A entrevistadora perguntou se Monti rejeitava os casamentos gays e o chefe do Governo italiano respondeu: “Acho que a família está fundada sobre o casamento e considero necessário que as crianças cresçam com um pai e uma mãe”.

Em seguida, acrescentou que “o Parlamento pode encontrar soluções convincentes para tutelar outras formas de convivência”.

Na Itália não existe ainda uma legislação que preveja o casamento entre pessoas do mesmo sexo (nem sequer uma lei de casais de fato).

No último dia 7 de janeiro, o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi, antecessor de Monti na frente do Executivo, se mostrou favorável a ampliar os direitos dos homossexuais e avançar rumo a um reconhecimento jurídico dos casais.

O diretor-executivo da plataforma Gay Center, Fabrizio Marrazzo, lamentou que nenhum dos Governos de Berlusconi tenha avançado em matéria de direitos dos homossexuais e desafiou o líder de centro-direita a incluir a proposta no programa eleitoral com o qual concorrerá no pleito de fevereiro de 2013. 

Sem mais artigos