Aplicativos são uma boa ajuda para quem está tentando retomar a vida amorosa. Eles servem como um aquecimento para as emoções, segundo Nikki. "Você não precisa ficar andando em círculos em um bar ou tentando encontrar pessoas, pode apenas checar o perfil de possíveis parceiros, olhar, mudar", explicou

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não leve tão a sério
“Namorar é parte da recuperação do divórcio”, afirmou Nikki. Segundo ela, no passado você provavelmente seguiu certos critérios para escolher o parceiro, pensando que ao “prencher todos os quesitos” o relacionamento daria certo, mas não deu. “Diga “sim” para pessoas que normalmente você não diria”, aconselhou. É importante lembrar que ir a um encontro com alguém não significa que você começará um relacionamento com a pessoa.

Peça ajuda
Se retomar a vida amorosa é uma atitude emocionalmente difícil, procure ajuda, aconselhou a especialista. “Sou fã de terapia. Depois do divórcio, as pessoas se sentem geralmente vulneráveis e confusas”, disse ela.

Baixe um aplicativo de relacionamento
Aplicativos são uma boa ajuda para quem está tentando retomar a vida amorosa. Eles servem como um aquecimento para as emoções, segundo Nikki. “Você não precisa ficar andando em círculos em um bar ou tentando encontrar pessoas, pode apenas checar o perfil de possíveis parceiros, olhar, mudar”, explicou.

Não envolva as crianças
“Acho que você deveria preservar a sua vida amorosa. Ter filhos não significa que você não possa se relacionar com outras pessoas após o divórcio, mas também não precisa apresentar cada parceiro aos filhos” disse Nikki. A conselheira disse, porém, que é importante ser transparente sobre o assunto no novo relacionamento.

Entenda os seus sentimentos
É completamente normal pensar sobre o ex-marido quando você está tentando se envolver com outras pessoas, segundo Nikki. “Há um mix de emoções, comparações e até mesmo vontade de voltar para ex. Você precisa deixar esse sentimentos surgirem, avaliá-los e seguir em frente”, contou.

Sem mais artigos