Depois de muitas críticas relacionadas à “magreza excessiva” que as modelos evocam no mundo fashion, a editora Condé Nast, que comanda a maioria das Vogues internacionais, lançou sua Inciativa de Saúde, um acordo entre os editores de 19 Vogues em que estes se comprometem a “incentivar uma abordagem mais saudável à imagem corporal dentro da indústria da moda”.


Entre os pontos levantados pelo acordo, está a questão da idade mínima das tops, que também já foi tradada pelo CFDA. Os editores não devem conscientemente trabalhar com modelos menores de 16 anos nas páginas das revistas, com isso também estarão incentivando os designers a considerar as consequências geradas por peças de roupas extremamente pequenas e criarão um ambiente de trabalho mais saudável nos bastidores. 

Além disso, as publicações devem trazer pautas que discutam o assunto. A Vogue britânica, por exemplo, vai analisar a atitude de algumas mulheres em relação à nutrição e conversar com as modelos Stella Tennant, Lily Cole e Adriana Lima sobre o assunto. 

Dezoito edições da Vogue já lançarão a iniciativa em junho, e a Vogue Japão, em julho. 

“A Vogue acredita que a beleza está na saúde. Os editores da Vogue ao redor do mundo querem usar as revistas para refletir seu compromisso com a saúde das modelos que aparecem nas páginas e o bem-estar de seus leitores”, disse Jonathan Newhouse, presidente da Condé Nast International,em comunicado.

As informações são do WWD. 

Sem mais artigos