Camila Sol tem 20 anos e viveu um amor de verão em 2010. “É uma história linda, mas com um final muito triste”, alertou a jovem logo no início da conversa.

Camila é de Belo Horizonte e viajou de ônibus para o Rio de Janeiro para participar de um congresso. “Tinha um rapaz querendo ficar comigo há tempos, mas quando entramos no ônibus e vi o funcionário que foi escolhido para nos acompanhar na viagem, meus olhos brilharam”, conta. “Achei que ele só estava conferindo o ônibus, mas pulei de alegria quando descobri que ele ia conosco”.

Durante a viagem, os dois conversaram bastante e quando ela estava sentada com seus amigos, o rapaz não parava de olhar para ela. Na volta do congresso para BH, eles se reencontraram e ele passou seus contatos para Camila.

“Ele me ofereceu carona, dizendo que minha casa era caminho para a casa dele, mas na verdade ele morava do outro lado da cidade”, lembra. 

Três dias depois, ela adicionou o rapaz no MSN e ele a convidou para sair. “Tive um dia de princesa! Ele me levou ao parque, me levou para jantar em um dos meus restaurantes preferidos, desenhou uma aliança na minha mão, e me pediu em namoro. Parece loucura, mas foi tudo assim, rápido mesmo”, conta Camila.

O namoro ficou sério e ela conheceu a família dele. Como ele era divorciado e tinha uma filha, a mãe de Camila não aceitou o romance no início.

“Tive a família dele como minha. Adorava a minha sogra e a filha dele. Vivi tudo o que uma mulher sonha em viver quando é adolescente”, explica.

Os dois namoraram durante seis meses e, há dois meses, Camila descobriu que o rapaz a traía há um tempo. “O namoro acabou, o encanto acabou e minha vida parecia ter acabado”, lamenta.

Hoje, Camila está namorando com um ex-namorado, mas ainda sofre por seu amor de verão.


Romances de verão: o príncipe virou sapo

Sem mais artigos