Vale tudo por uma boa selfie? A corrida por curtidas tem feito as pessoas irem cada vez mais longe pela foto perfeita, contudo, o que parecia inofensivo se mostra cinco vezes mais letal do que ataques de tubarões.

Segundo levantamento da publicação indiana Journal of Family Medicine and Primary Care, entre Outubro de 2011 e Novembro de 2017, pelo menos 259 pessoas morreram tentando fazer uma selfie. Em comparação, neste mesmo período, foram contabilizadas 50 mortes por ataques de tubarões.

A pesquisa aponta que, enquanto as mulheres tiram mais selfies, são homens jovens que correspondem a três quartos das estatísticas. Por serem se arriscarem mais, acabam se envolvendo em afogamentos, quedas e levem até tiros.

A campeã no número de mortes por selfies é a Índia, um dos países mais populosos do mundo e detentor de 800 milhões de celulares. De acordo com o Daily Mail, a situação é tão preocupante que foram estabelecidas zonas proibidas para fotos: só em Mumbai há 16 delas. Em seguida estão Rússia e Estados Unidos.

Passando do limite

As selfies parecem ter saído do controle. Até cenários como Chernobyl viraram alvos de influenciadores, taxados de ‘insensíveis’. Já na Nova Zelândia, uma ferrovia precisou fechar os vagões com vista panorâmica após passageiros se arriscarem por fotos memoráveis. E esta modelo deletou a conta no Instagram depois ter ter publicado uma selfie com o corpo do pai.

Sem mais artigos