Apesar de estar morta há 50 anos, Marilyn Monroe ainda possui um talento especial para gerar controvérsia. A mais recente polêmica envolvendo seu nome se dá graças a Vanity Fair, que mostrará em sua edição de junho supostas fotos perdidas e jamais vistas da diva feitas pelo fotógrafo Lawrence Schiller em 1962. Mas segundo Hugh Hefner, o chefão da revista Playboy, as tais fotos não possuem nada de “perdidas” e tampouco seriam inéditas.

Em seu Twitter, Hefner disse:

“ As ‘supostas’ fotos perdidas de Marilyn Monroe na Vanity Fair originalmente foram publicadas na edição especial da Playboy em janeiro de 1964 que foi um tributo a ela”.

Um dia antes de morrer, aos 36 anos, em 1962, ela teria enviado uma foto nua que Schiller havia tirado para a casa do fotógrafo com a mensagem: “Envie isto para a Playboy, eles podem gostar”.

Pelo jeito ele enviou mesmo.

Sem mais artigos