Thammy Miranda, a Jô da novela “Salve Jorge”, esteve no programa “Mais Você” desta quarta-feira (10) e entrevista à apresentadora Ana Maria, declarou que se veste de maneira masculinizada porque isso representa quem ela é:

“Sempre me perguntam se para gostar de mulher precisa se vestir como homem, mas não é isso. Uma mulher que gosta de mulher pode ser feminina, como a Daniela (Mercury), mas eu sou assim. Me visto assim porque esta é a maneira que me sinto bem, isso é quem eu sou”, contou.

A filha da cantora Gretchen ainda falou sobre o momento em que decidiu parar de se vestir com roupas femininas: “Eu tinha entre 23 e 24 anos e queria ser eu, queria ser feliz comigo mesma. Eu me olhava no espelho e não me reconhecia”, disse.

Sobre a carreira de dançarina que teve ao lado de Gretchen quando tinha 15 anos, Thammy revelou que embora já soubesse sobre sua orientação sexual, sua motivação era estar ao lado da mãe: “Eu queria estar ao lado dela, ficar perto”, disse.

Ela disse que quando Gretchen descobriu que ela era gay, aos 18 anos, pensou que fosse uma forma de agredi-la ou de chamar atenção. “Aí conversei com ela e disse: “mãe, você acha que se pudesse escolher, ia escolher sofrer preconceito? Não tenho escolha. Nasci assim”, lembrou.

Thammy contou que, para ela, o que mais mexeu com Gretchen foi a expectativa criada pela mãe. “Ela criou uma expectativa grande em cima de mim. Ela esperava que desse sequência à carreira dela. O castelinho dela foi por água abaixo”, afirmou.

No ar na novela global, Thammy estrelou nesta semana um visual completamente diferente e apareceu sensual na pele da bailarina Lohana, seu disfarce para investigar a quadrilha de tráfico de pessoas. Thammy revelou que fazia mais de dez anos que não usava salto antes de entrar em cena para dançar a música La Conga, hit de sua mãe.

Sem mais artigos