Jenna Talackova, finalista do concurso de beleza Miss Universo Canadá foi desclassificada por, segundo a organização do evento, “não cumprir os requisitos para participar apesar de ter escrito o contrário na sua candidatura”. Mais interessada em esclarecer o ocorrido, Jenna, de 23 anos, explicou que foi excluída por não ter nascido mulher.

A canadense loira de origem eslava diz que sempre se sentiu mulher e começou a tomar hormonios aos 14 anos, acabando por submeter-se a cirurgias para alterar os órgãos genitais em 2010.

Apesar de a organização do evento garantir que a exclusão é inapelável, Jenna Talackova está fazendo uma campanha para que ela ainda possa competir no concurso. Até agora mais de 20 mil assinaturas foram coletadas num abaixo-assinado promovido pelo site change.org.

“Ela é uma mulher e merece ser tratada como qualquer outra mulher seria. O tipo de órgão sexual com o qual ela nasceu (e até mesmo o tipo de órgão sexual ela tem hoje) é completamente irrelevante”, diz o abaixo-assinado. 

O abaixo-assinado também cita a variada lista de pré-requisitos do concurso antes de concluir: “Não há nenhuma menção de regras relativas à mudança de sexo ou cirurgia plástica”.

No comunicado emitido para anunciar a exclusão da candidata de Vancouver, a organização do evento, ligada ao multimilionário norte-americano Donald Trump, garantiu que “respeita os objetivos e a determinação” da transexual.


Sem mais artigos