A Victoria’s Secret está sendo acusada de utilizar algodão produzido com mão de obra infantil. A fazenda onde as fibras são produzidas, em Burkina Faso, é certificada com o selo de sustentabilidade de comércio justo, o que sugere que o produto está livre de práticas como o trabalho infantil, no entanto, uma reportagem investigativa da agência de notícias Bloomberg descobriu que existem muitas crianças envolvidas.

Um repórter teve acesso à adolescente Clarisse Kambire, de 13 anos, que trabalha na plantação e contou que além de ser mal alimentada, se ela não trabalhar rápido, apanha com galho de árvore. Os fazendeiros alegam que não têm recursos para produzir algodão para o comércio justo sem infringir o princípio central do movimento, que é forçar crianças a trabalhar nos campos.

Um executivo da Victoria’s Secret entrevistado pela Bloomberg diz que a quantidade de algodão comprada de Burkina Faso é mínima, mas vai investigar rigorosamente o assunto.

“Eles descrevem comportamento contrário aos valores de nossa companhia e ao código de trabalho e padrões que exigimos que nossos fornecedores atendam”, afirma em comunicado Tammy Roberts Myers, vice-presidente de comunicações externas da Limited Brands Inc, que tem na Victoria’s Secret sua maior unidade.

Sem mais artigos