A lógica parece simples: “sim” é um resposta positiva, ao passo que “não” indica uma negativa, recusa, proibição. Poderíamos usar inúmeros termos semelhantes para tentar explicar a oposição dessas duas palavrinhas mágicas; ainda assim, as mulheres continuariam sofrendo com a interpretação completamente absurda daquilo que nós chamamos de “consentimento”. Afinal, quantas já não foram beijadas à força (para dizer o mínimo) porque o admirador em questão apenas ignorou a resposta negativa?

Acontece que nem tudo para no beijo. Toques impróprios, assédio, abuso sexual… A lista é longa e triste. Para tentar acabar com essa realidade, a ONG Project Consense produziu animações para explicar – quase que explicitamente – o que significa consentimento na hora do sexo, com miniaturas de algumas partes íntimas bem simpáticas. Assista a um exemplo logo abaixo:

“Consentimento não deveria ser um assunto complicado ou difícil para falarmos. Nós não deveríamos usar chás ou qualquer outra coisa para explicar o que é ou não apropriado. Falar sobre consentimento, ou sexo, não deveria ser um tabu. Temo esperança de que esses vídeos começarão um diálogo importante na sociedade. A resposta até agora tem sido positiva”, explicou Sara Li, uma das autoras do projeto, em entrevista ao BuzzFeed.

A ideia de consentimento, porém, não vale só para aqueles casos em que homens e mulheres não se conhecem ou não mantêm nenhum tipo de vínculo afetivo. Abusos como esses podem acontecer também na vida de um casal, já que o desrespeito à vontade alheia é ainda mais naturalizado, como se fosse uma questão corriqueira, sem importância.

“Eu estou cansada” e “Entendi”

Para saber mais sobre o Project Consent, basta visitar o site deles e assistir às outras animações, que são bem humoradas e fofas. Para não restar mais dúvida do que é permitido e o que não é!

Sem mais artigos