Mortes que causaram impacto em séries de TV

Presidente David Palmer em 24 Horas – O personagem de Dennis Haysbert chegou a ser escolhido pelos leitores do TV.com como o presidente que eles mais gostariam de ter na vida real. E, durante cinco temporadas, teve um papel essencial no combate aos terroristas perseguidos por Jack Bauer. Mas nem isso o livrou. Logo na manhã do dia 5 da quinta temporada, ele estava em sua cobertura quando levou um tiro no pescoço, disparado por um atirador escondido no prédio vizinho. A morte foi instantânea.

A morte de Charlie Harper (Charlie Sheen) em Two and a Half Men não vai pegar ninguém de surpresa. Além da confirmação de que o personagem vai mesmo desta pra melhor, até a forma como isso vai acontecer já foi revelada (leia mais sobre isso AQUI).

Mas Charlie não será o primeiro personagem importante, ou sequer o primeiro protagonista, a deixar uma série de TV no auge. E menos ainda o primeiro a causar impacto com sua morte.

O que chama mais atenção, no caso, são os motivos que levaram o produtor Chuck Lorre, também criador do programa, a eliminar um personagem de tanto sucesso. Em março deste ano, Sheen se envolveu em uma série de escândalos ligados ao consumo de álcool e drogas e criticou Lorre e a Warner publicamente, o que resultou em sua demissão.

Em outras ocasiões, porém, as saídas foram mais amigáveis – ou trágicas. Produtores e roteiristas tiveram que dar um fim a personagens cujos intérpretes queriam simplesmente buscar novos trabalhos ou, tristemente, morreram na vida real.

Conheça na galeria acima alguns desses casos e saiba qual foi a solução encontrada em cada uma das séries.

Clique AQUI para ver fotos de Two and a Half Men e AQUI para ver as primeiras imagens de Ashton Kutcher – substituto de Sheen – na série, que volta à TV no dia 19 de setembro.


Antes do fim do personagem de Charlie Sheen, lembre outras mortes de impacto em séries de TV

Sem mais artigos