Tã tã tã!! Então que começou MasterChef Brasil, na terça-feira (19), o Twitter entrou em chamas, e a gente surtou junto! Isso que foi só o primeiro episódio. Teve candidata com uma só MÃO, baiano fazendo capoeira, um coelho fofo vivo e outro na panela, candidato que não ganhou avental mas levou estágio. Ou seja, tá tendo emoção na segunda temporada e é não pouca não, galera.

Vamos por partes então.

Antes do começo do episódio, teve uma prévia, com a participação do finalista da edição passada Mohamad, que tava vestindo uma camiseta com a estampa de sua assinatura no programa: a cenoura sexy. Quem lembra? “A cenoura é muita coisa muito sexy“, explicava à apresentadora o aspirante a chef, que até chorou ao relembrar seus melhores momentos na competição.

Alguns candidatos de estados como Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro tentaram ~gourmetizar~ pratos regionais, pra desespero dos jurados, Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella. “Muita gente trouxe comida regional ruim”,  reclamou Henrique Fogaça quando o baiano Cristiano disse que tinha feito uma moqueca de arraia. “Sabe por quê?”, continou Paola Carosella. “Gourmetizaram o regional”, completou Fogaça.

Uma que tentou ~gourrrrmetizarrr~ um prato e falhou miseravelmente foi a mineira Clara, que fez não apenas UM mas DOIS hambúrgueres gigantes de frango – carinhosamente apelidado aqui de x-tijolo com couve crispy e purê de banana fazendo as vezes de maionese. Daí, os jurados perguntam como iam comer aquilo.”Aconselho comer com garfo e faca, uai”, explicou a candidata. “Pega um machado lá”, pediu Fogaça. Paola quase DESMAIOU.  

E os três pegaram pesado. “Seu sonho virou nosso pesadelo”. “Não é gourmet, não é mineira”. “Serviria no máximo para um concurso de hambúrgueres bizarros”. Miga, não tem como te defender

Lembra do baiano Cristiano? Ele não gormetizou nada, fez uma moqueca de arraia, emocionou Paola, não impressionou Jacquin, mas ganhou pontos com Fogaça e levou o avental.

E ainda teve de fazer capoeira. Também não entendemos se foi requisito pra entrar ou o quê. Mas fez parte do show.

Daí veio o paranaense Murilo com o namorado e a coelha de estimação a tiracolo na torcida. Ównnn. “Que amor” – você pensa. Sim, não fosse o fato de o prato dele ser COELHO com miúdos. Mas antes de começar a montar o prato, ele mostra a coelha de estimação pros jurados e diz que vai cozinhá-la. “O outro é fofo, mas na panela é melhor”, resumiu Paola. A performance funcionou. O prato, que tinha farofa cítrica e cenoura caramelizada, agradou. “Audacioso, gosto de quem se arrisca”, elogiou Fogaça justificando seu “sim”.

Quando a gente já achava que já tinha dado por hoje, eis que surge a Lanny. Apenas que ela só tem UMA mão, por causa de um defeito congênito. Ela fritou, mexeu, temperou, limpou, organizou a bancada COM UMA MÃO. “Impressionante”, falava Paola para os colegas. E não que é que impressionou só pela agilidade mas também pelo prato, filé selado com purê de raízes e aspargos.

Basicamente isso.

Semana que vem tem mais, folks. Beijo. Fiquem com esse prato.

Sem mais artigos