A transexual e modelo brasileira Lea T curtiu o segundo dia do camarote de uma cervejaria no Carnaval carioca em clima de muita alegria. Em entrevista à coluna Gente Boa do jornal O Globo, ela falou sobre preconceito. “Na Itália, o preconceito é mais agressivo, vem de pessoas bem informadas, que pegam logo na ferida. Aqui, no Brasil, é um preconceito mais puro, quase de criança. Aquela coisa de homem ficar com vergonha de me dar beijinho porque tem medo de ser chamado de gay”, declarou.

Lea ainda afirmou que está aguardando a autorização para mudança de sexo e aproveitou para reclamar de suas partes masculinas do corpo. “Meu pé é de homem, me entrega totalmente. Minha testa também é muito masculina, odeio. E o meu cabelo? É pixaim, isso tudo é escova, meu bem. Por isso fiquei desesperada com essa chuva. Mas de uma coisa eu posso me orgulhar: não tenho gogó, graças a Deus. Desse mal eu não sofro”, finalizou.



Sem mais artigos