Nesta terça-feira (04), o último dia de carnaval na Casa da Skol do Recife Antigo já estava deixando gostinho de saudade no público. O grupo de amigas Cintia Messias, Caroline Russo e Bianca e Marina Tavares veio de São Paulo pela primeira vez para conhecer o Carnaval pernambucano. “Estamos achando tudo lindo, as ruas, os blocos”, comentaram. “E a gente amou a casa. A decoração, a comida, os shows, cada detalhe é incrível, bem cuidado”.

Para a recifense Mariana Maranhão, o espaço é uma boa alternativa para aproveitar a folia. “Aqui se tem uma visão privilegiada do palco do Marco Zero, e dá para aproveitar as apresentações com conforto e segurança”. O lugar ganhou a simpatia dos famosos. “Todo mundo aqui é muito de boa, recebe a gente muito bem, e as apresentações foram ótimas”, disse o ator Sacha Bali. “Fico feliz de ver meus amigos de fora vendo o que temos de bom aqui”, pontuou o ator Renato Góes, que é do Recife.

Ao todo, o casarão da Associação Comercial de Pernambuco recebeu cerca de 5.000 convidados em cinco dias. “Conseguimos nos firmar como uma das casas de Carnaval mais importantes do país”, avaliou Carla Bensoussan, que orquestra a ação. Ela contou que já tem planos para o ano que vem. “Vamos fazer várias mudanças, será feita uma grande reformulação”, revelou, sem dar mais detalhes.

Alfinetada

Depois de cancelar sua apresentação no Carnaval de Salvador após desentendimento com a Bahiatursa (Empresa de Turismo da Bahia), Moraes Moreira subiu ao palco do Marco Zero com seu filho, Davi Moraes. Eles tocaram o projeto Moraes Carnaval Moreira, relembrando sucessos do clássico disco Acabou Chorare, de 1972, dos Novos Baianos. Besta é Tu, Brasil Pandeiro e Preta Pretinha embalaram os foliões, que lotaram o Bairro do Recife para aproveitar o último dia de folia. Outras canções como o frevo de 1909 Vassourinhas e Eu sou o Carnaval, além de uma versão guitarrada de Maracatu Atômico, música de Jorge Mautner que foi sucesso com Chico Science e Nação Zumbi, também levantaram o público.

“O frevo é um caso de amor na família Moraes”, falou Davi. “Recife está ensinando para o Brasil como se fazer Carnaval. Aqui não para de surgir coisas novas, mas nem por isso anula a tradição, o que está aí já faz tempo. É uma aula de como valorizar tanto quem chega quanto quem já está nessa há anos”, comentou, aproveitando para dar uma alfinetada sobre o acontecido na Bahia.

Relax 

Os globais Sacha Bali, Nando Rodrigues e Renato Góes aproveitaram a terça-feira gorda para se jogar na folia de Olinda. “A gente passou o dia subindo e descendo ladeira, e foi atrás do (bloco) Eu acho é pouco”, contou Sacha. O trio fica em Pernambuco até a quinta-feira (6). Na quarta-feira (5), vão aproveitar para relaxar. “Eu vou levá-los para conhecer a praia de Porto de Galinhas”, contou Renato, “guia local” do grupo. “Quero muito passear mais por aqui. Já estou até falando ‘visse’”, brincou Nando.

Sem mais artigos